Denúncia

“Era tudo roubo. Vi maços de dinheiro serem distribuídos”, diz Empresário ao denunciar desvio de 90% de contrato do Ministério do Esporte

Em entrevista exclusiva ao jornal O Estado de S.Paulo, empresário diz que ONG desviou 90% de contrato do Ministério do Esporte através do Programa Segundo Tempo

O dono de uma empresa subcontratada para fornecer alimentos a crianças atendidas por um programa de esportes do governo federal diz que cerca de 90% dos R$ 4,65 milhões que recebeu dos cofres públicos entre 2009 e 2010 foram desviados para políticos de Brasília, Santa Catarina e Rio. “Era tudo roubo. Vi maços de dinheiro serem distribuídos”, afirma o dono da JJ Logística Empresarial Ltda., João Batista Vieira Machado, em entrevista exclusiva ao jornal O Estado de São Paulo.

Esquema
Machado diz que foi usado em um esquema montado para fraudar o Segundo Tempo, programa do Ministério do Esporte que atende crianças em atividades físicas em horário extraescolar. A microempresa sediada no município de Tanguá, na região metropolitana do Rio, foi subcontratada pelo Instituto Contato, entidade sem fins lucrativos dirigida por integrantes do PC do B de Santa Catarina que mantinha dois convênios com o Ministério do Esporte. Machado tinha de fornecer lanches para as crianças.

O dono da JJ Logística, porém, afirmou ao Estado ter fornecido alimentos cujo valor atingiu apenas R$ 498 mil. Os outros R$ 4,15 milhões saídos dos cofres públicos federais que teriam de ser usados para o fornecimento de lanches para as crianças acabaram desviados “para fins políticos”, segundo as palavras de Machado.

Não é de hoje
As denúncias envolvendo o programa Segundo Tempo não são novas. O ministro anterior, Orlando Silva, saiu da pasta em meio a denúncias de desvios inclusive no Ceará.

Relembre aqui:
Orlando Silva é o sexto ministro a cair em dez meses de governo Dilma
Gravações mostram Agnelo prometendo ajuda a PM que acusou Orlando Silva 

‘Esporteduto’ do PCdoB controla verba do governo e beneficia aliados do Ceará 
Revistas apontam ligação de Agnelo com pivô de suposto esquema no ministério dos Esportes

Pasta encerra contratos e afirma que vai apurar denúncias
O Ministério do Esporte informou, em nota ao Estado, que vai apurar as denúncias do empresário João Batista Vieira Machado de que houve desvios de recursos no Programa Segundo Tempo. Os dois convênios da pasta com o Instituto Contato foram rescindidos. O Portal da Transparência do governo federal informa, no entanto, que o primeiro convênio do ministério com o Instituto Contato, no valor total de R$ 13,84 milhões, foi integralmente cumprido.

Contas
O outro contrato, cuja vigência se encerraria no fim de dezembro, era de R$ 6,24 milhões, também segundo o Portal da Transparência. Neste caso, a nota do Ministério do Esporte informa que, por causa das irregularidades encontradas, foi instaurada uma Tomada de Contas Especial, que está em fase final de tramitação.

Com informações do Estadão.


Curtir: