Polêmica

Espionagem: Embaixada dos EUA no Brasil diz que aguarda orientação de Washington para se manifestar

Espionagem: Embaixada dos EUA no Brasil diz que aguarda orientação de Washington para se manifestar
Espionagem: Embaixada dos EUA no Brasil diz que aguarda orientação de Washington para se manifestar

Após uma hora de reunião, nesta segunda-feira (8), em Brasília, sobre a existência de um sistema de espionagem de telefonemas e e-mails de cidadãos brasileiros por parte de agências de informação do governo norte-americano, a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil informou à Agência Brasil que aguarda “instruções de Washington” para se manifestar.

O governo norte-americano havia informado no domingo (7) que não responderá publicamente ao pedido de esclarecimento apresentado pelo Ministério das Relações Exteriores sobre o tema.

Pedido
O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, está em Belo Horizonte para uma palestra sobre política externa na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). No domingo, o chanceler disse que foram solicitados esclarecimentos aos Estados Unidos por intermédio da Embaixada do Brasil em Washington e também ao embaixador dos Estados Unidos no Brasil.

Leia aqui:
Brasil pede explicações aos Estados Unidos sobre espionagem eletrônica

Troca
O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, está prestes a deixar o cargo. Para o lugar dele foi designada a diplomata Liliana Ayalde. A informação foi confirmada há um mês, mas por enquanto não há data para a substituição ocorrer. Ayalde é atualmente secretária-assistente adjunta de Estado para Cuba, América Central e Caribe, no setor de Hemisfério Ocidental do Departamento de Estado Americano.

Resposta
Por intermédio de e-mail, o Departamento de Estado norte-americano havia informado que dará resposta apropriada à demanda brasileira. “O governo dos Estados Unidos vai responder apropriadamente a nossos parceiros no Brasil pelas vias diplomáticas e de inteligência. Não vamos comentar publicamente ou especificar supostas atividades de inteligência. Como política, deixamos claro que os EUA obtêm inteligência estrangeira do tipo coletado por todas as nações”, diz o texto.

Com informações da Agência Brasil


Curtir: