Nacional

Estudantes de medicina terão que trabalhar dois anos na rede pública para conseguir registro

Estudantes de medicina terão que trabalhar dois anos na rede pública para conseguir registro
Estudantes de medicina terão que trabalhar dois anos na rede pública para conseguir registro

O governo federal fará uma mudança nos cursos públicos e privados de medicina. Além de cursarem os seis anos hoje previstos, alunos que ingressarem na graduação no início de 2015 trabalharão dois anos na rede pública de saúde antes de conseguirem o registro definitivo de médico.

Ciclo
Nesse período extra, chamado de “2º ciclo” pelo governo, o médico continuará em formação, trabalhando exclusivamente em postos de saúde, pronto socorros e no Samu, sempre vinculado à instituição de ensino original. Ou seja, não poderá dar plantão por fora nem abrir consultório. Receberá uma bolsa do Ministério da Saúde, com valor ainda não definido –a expectativa é que fique entre R$ 3 mil e R$ 8 mil.

Pacote
Essa medida faz parte de um pacote de ações na saúde que serão anunciadas, na tarde desta segunda-feira (8), pela presidente Dilma Rousseff. Entre elas, está ainda a vinda de médicos estrangeiros para o país.

Modelo
O Ministério da Saúde diz ter se inspirado no modelo do Reino Unido para criar o novo formato do curso de medicina. O objetivo, segundo o ministério, é melhorar a formação do médico na atenção básica.

20 mil
Apesar de o discurso oficial não ter esse foco, a expectativa é que o “2 ciclo” despeje 20 mil médicos na rede básica e pública de saúde em 2021. A alteração será feita via uma medida provisória que será publicada no “Diário Oficial” da União de terça-feira (09).

Com informações da Folha.com


Curtir: