Câmara Municipal Fortaleza

“Eu não sou boneco não!” – Vereador se rebela e questiona articulação para presidência da Câmara

“Eu não sou boneco não!” – Vereador se rebela e questiona articulação para presidência da Câmara

“Eu não sou boneco não”. Foi com essa declaração que o vereador Adail Júnior (PV) deixou claro, durante pronunciamento na tribuna da Câmara de Fortaleza, nesta quinta-feira (13), que não vai aceitar a imposição de um grupo de vereadores na composição dos espaços da Mesa Diretora e das Comissões Técnicas.

Candidato do Prefeito
O vereador diz que apoia Walter Cavalcante (PMDB) para a presidência da Câmara mas contestas as articulações. “Estou votando no candidato que o prefeito Roberto Cláudio está indicando, porque foi isso que eu combinei com ele”, ressaltou.

Boneco
Adail Junior disse aidna que em uma das reuniões foi deliberado que quem participar da eleição da Mesa em 2013 deve ficar fora da disputa em 2015. O parlamentar afirmo que não vai ficar subordinado a um grupo de 24 vereadores. “Eu não sou boneco, não”, concluiu o vereador.

Insatisfação
Um dia depois do anúncio oficial do apoio de 33 vereadores a eleição de Walter Cavalcante para a presidência da Câmara Municipal de Fortaleza, parlamentares decidiram se rebelar. Além de Adail Júnior, o vereador Adelmo Martins (PR) também usou a tribuna para criticar a forma como a composição da Mesa vem sendo articulada. Adelmo Martins endureceu o discurso e disse que os vereadores estão insatisfeitos, mas não quis gravar entrevista.

Leia ainda:
Walter Cavalcante anuncia candidatura oficial à presidência da Câmara e já conta com apoio de 33 vereadores

Proporcionalidade
Já Adail Junior admite que o impasse existe a queda de braço diz respeito a composição da Mesa e das comissões técnicas. “Não pode um partido menor, que tem um número menor de vereadores ficar com uma comissão importante só porque faz parte do grupo. Tem que ser observado a representação dos partidos na Câmara”, defendeu Adail.

Apoio
De um dia para o outro, o grupo de apoio a Walter Cavalcante passou de 33 para 24 vereadores e pode ficar menor. Isso porque os três vereadores eleitos pelo PTC e que assinaram a lista de apoio, devem seguir a decisão do diretório municipal do partido que ainda não está convencido em dar apoio ao peemedebista. O presidente da sigla, veredor Marcelo Mendes, diz que se os parlamentares contrariarem a indicação do PTC “já vão começar o mandato com um problema que pode resultar a perda de mandato por infidelidade partidária”.

Ajustes
Walter Cavalcante participou de reuniões internas, fora do plenário e não quis conversa com a imprensa. Elpidio Nogueira (PSB), que deve ficar com a primeira secretaria, assumiu o discurso do grupo para pacificar o debate. O vereador diz que Walter Cavalcante tem maioria de votos, trabalha pelo consenso e que a insatisfação sobre a composição da mesa e das comissões vai passar por ajustes para atender os aliados.


Curtir: