Protesto

“Eu vou tirar você deste lugar, Feliciano!” – Manifestantes fazem ato em Fortaleza contra Marco Feliciano

“Eu vou tirar você deste lugar, Feliciano!” - Manifestantes fazem ato em Fortaleza contra Marco Feliciano
“Eu vou tirar você deste lugar, Feliciano!” – Manifestantes fazem ato em Fortaleza contra Marco Feliciano

Militantes sociais e artistas fortalezenses vão se manifestar, na noite desta sexta-feira (5), contra a permanência do deputado Marco Feliciano à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDM) da Câmara Federal. Esse é o 3º ato que acontece na capital cearense em repúdio ao parlamentar, desde que ele assumiu a presidência do colegiado em Brasília.

“Eu vou tirar você deste lugar, Feliciano!” É assim que se intitula a convocatória para o ato desta noite, que vai acontecer na praça da Gentilândia, Benfica, a partir das 18h.

Face
No evento que convida internautas pelo Facebook, mais de 1.200 pessoas já confirmaram presença. Entre elas representates do poder público e artistas. Procurado pelo Tribuna do Ceará, Marco Feliciano disse por meio de sua assessoria que todas as manifestações são legítimas e contribuem com a democracia, mas que ele tem respaldo regimental para permanecer no cargo.

A turbulência em torno da figura de Feliciano à frente da CDM é devida a diversas declarações públicas do parlamentar em ele que disse acreditar que “paira sobre os africanos uma maldição divina”, além de considerar “podres” os sentimentos homo-afetivos e ter colocado a independência feminina “uma forma sutil de agredir a família.” A assessoria do deputado disse que as declarações foram repercutidas fora de contexto.

Cenário político local
Na última quinta-feira (4), a Assembleia Legislativa do Ceará rejeitou um requerimento da deputada Eliane Novaes (PSB) que seria enviado à Câmara Federal pedindo a reconsideração da eleição de Feliciano para a presidência da CDM. Dos 32 deputados presentes, apenas 7 votaram a favor. O principal argumento dos parlamentares que votaram contra foi de que a matéria seria uma interferência da Assembleia na decisão da Câmara. No legislativo municipal, além do presidente da Comissão de Direitos Humanos, vereador João Alfredo (PSOL), outros parlamentares confirmaram presença no ato desta sexta-feira.

Maniqueísmos
Em matéria publicada em site oficial, o mandato de Feliciano diz que “sem a presença de manifestantes e ativistas LGBTS dentro do plenário, a paz reinou na comissão, que com excelência concluiu a pauta de trabalhos.”

No entanto, a resistência a que o parlamentar siga à frente da comissão não se reduz ao segmento homossexual da sociedade. Notas de repúdio a ele já foram emitidas por partidos políticos, pela Anistia Internacional e até por entidades religiosas cristãs. Artistas de relevância nacional e internacional também têm se manifestado contrários ao deputado.

Defesa
Uma das organizadoras do evento desta sexta em Fortaleza,Verônica Guedes, disse que “não se trata de defender um povo só. O ato contra Feliciano defende também negros, pessoas de outras religiões, entre outros. Defendemos os direitos humanos conquistados até agora” finaliza.

Com informações da Tribuna do Ceará


Curtir: