Ceará

Férrer diz que dívida com manutenção dos equipamentos é de US$ 9 milhões

Férrer diz que dívida com manutenção dos equipamentos é de US$ 9 milhões. Foto: Máximo Moura
Férrer diz que dívida com manutenção dos equipamentos é de US$ 9 milhões. Foto: Máximo Moura

O deputado estadual Heitor Férrer (PSB) confirmou, nesta quinta-feira (02), na tribuna da Assembleia, a dívida no valor de US$ 9.350.780,48 do Governo do Estado com a empresa The Robbins Company, referente às manutenções preventivas das tuneladoras a serem utilizadas na execução da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. A denúncia havia sido feito pelo parlamentar em abril e foi negada pela base aliada do governo na Casa.

Segundo o parlamentar, o valor foi informado pela empresa ao Ministério Público. O total refere-se ao saldo não pago de readequação no contrato em que foi incluído o serviço de manutenção, à manutenção realizada de 18.09.2014 a 18.03.2015 e ao saldo não pago da emissão dos certificados de aceitação provisória e definitiva.

Manutenção
No documento, a empresa informa ainda que, há meses, não presta nenhum serviço de manutenção das máquinas, desconhecendo assim o estado em que se encontram os equipamentos, e que diante da não prestação desse serviço e do não funcionamento do maquinário, maiores serão os prejuízos suportados pelo Estado devido sua deterioração.

“O governo tem negado a dívida com essa empresa, que foi contratada por US$ 1 milhão por mês para fazer a manutenção e não recebeu um centavo. Estamos diante da possibilidade de um prejuízo total por conta dos danos causados pela falta de uso e manutenção. Não houve nenhuma leviandade da nossa parte diante da cobrança que fizemos”, afirmou Heitor.

TCE
Em 2015, Heitor Férrer já havia encaminhado ofício ao Tribunal de Contas do Estado solicitando informações sobre as razões que levaram a Seinfra a optar pela compra das tuneladoras em vez de incumbir a responsabilidade à empresa contratada; os motivos pelos quais as tuneladoras estão sem utilização há dois anos; os prejuízos financeiros causados ao Estado pelo não uso dos equipamentos nesse período, bem como a data prevista para a retomada dos trabalhos e a futura destinação das tuneladoras. A medida gerou representação do TCE contra a compra dos equipamentos.

Não existe
O líder do Governo na AL, Evandro Leitão (PDT), rebateu as críticas afirmando que não existe dívida e, portanto, o valor de R$ 9 milhões refere-se a uma indenização que a empresa fornecedora das tuneladoras busca na Justiça devido período que a obra ficou parada. E que a manutenção e correção dos equipamentos são previstos dentro do escopo do contrato de aquisição do maquinário.

Com informações da Assessoria


Curtir: