Ceará

Fortaleza sedia congresso de comunicação da Justiça

Com o tema: “Justiça em Comunicação”, será realizado, em Fortaleza, de 27 a 29 de junho, o VIII Congresso Brasileiro dos Assessores de Comunicação da Justiça – Conbrascom/2012, promovido pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça (FNCJ). O local do encontro é o Centro Cultural do Parlamento Cearense, no anexo II, da Assembleia Legislativa do Ceará.

Objetivo
O evento tem como objetivo estimular o desenvolvimento de uma política de comunicação voltada para esclarecer o cidadão, contribuindo para a democratização das instituições e o acesso à Justiça.

Palestrantes
Entre os palestrantes estão: a jornalista e professora emérita da Universidade Federal do Ceará, Adísia Sá, o presidente da OAB Nacional, Ophir Cavalcante, o procurador da República Cláudio Chequer, e editor do site Consultor Jurídico, Márcio Chaer, o jornalsta Flávio Paiva, do jornal Diário do Nordeste, o secretário de Finanças de Fortaleza, Alexandre Cialdini, o presidente da FENAJ, Celso Scherder, o advogado Djalma Pinto, o coordenador de Comunicação Social do Senado Federal, jornalista Fernando Cesar Mesquita, e o juiz de Direito Marcelo Roseno, da Associação dos Magistrados do Ceará.

Prêmio
Durante o encontro haverá a entrega do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça que visa reconhecer os melhores produtos e iniciativas das Assessorias de Comunicação nos órgãos do Judiciário, Ministério Público, Defensorias, Tribunais de Conta e entidades de classe do setor.

Estímulo
Segundo o jornalista Moacir Maia, presidente do Fórum Nacional de Comunicação e Justiça – FNCJ, “a realização do CONBRASCOM tem estimulado, ano a ano, o desenvolvimento de uma política de comunicação voltada, não só para esclarecer o cidadão, mas para a contribuição efetiva da democratização da informação no âmbito das instituições, além do acesso à Justiça”.

Fórum
O FNCJ é uma instituição de direito privado sem fins lucrativos fundada em março de 2002, cujo objetivo é ampliar o debate sobre a comunicação na Justiça, envolvendo juízes, procuradores, promotores, jornalistas, publicitários, organizações governamentais e não-governamentais, bem como a sociedade civil, de forma a construir organizações onde a comunicação esteja a serviço do cidadão.

Com informações da Assessoria


Curtir: