Nacional

Fundador do PT apresenta pedido de impeachment de Dilma

Fundador do PT apresenta pedido de impeachment de Dilma. Foto: Luiz Alves
Fundador do PT apresenta pedido de impeachment de Dilma. Foto: Luiz Alves

Fundador do PT, o advogado paulista Hélio Bicudo, 93, apresentou nesta terça-feira (1º) à Câmara dos Deputados pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT).

O documento foi endereçado ao presidente da Casa Legislativa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e foi protocolado no início desta tarde pela filha do jurista, Maria Lúcia Bicudo, e pela advogada Janaina Paschoal, que também subscreve o pedido.

AVC
Por conta de sua idade e de seu estado de saúde, o advogado não participará da entrega do documento. Em 2010, ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e permaneceu internado na capital paulista.

Segundo a filha de Bicudo, a iniciativa partiu do próprio advogado e não tem relação nem com partidos políticos nem com movimentos favoráveis ao impeachement da presidente.

“É uma decisão tanto do meu pai como da Janaina Paschoal ingressar com um pedido, que apresenta argumentos e é bem embasado”, disse à reportagem a filha do advogado.

Crime
Na carta, o fundador do PT deve argumentar que a presidente cometeu crime de responsabilidade e elencará entre outros motivos para o seu afastamento -as chamadas “pedaladas fiscais”, manobras do governo federal para adiar pagamentos e usar bancos públicos para cobrir as dívidas.

“Houve uma maquiagem deliberadamente orientada a passar para a nação (e também aos investidores internacionais) a sensação de que o Brasil estaria economicamente saudável e, portanto, teria condições de manter os programas em favor das classes mais vulneráveis”, disse.

Lava Jato
O documento também citará a Operação Lava Jato, a compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras e o pedido do vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, à Procuradoria-Geral da República para que apure eventuais crimes que possam motivar uma ação penal pública.

“O Tribunal Superior Eleitoral, em longo e minucioso processo, tem apurado inúmeras fraudes, verdadeiros estelionatos, encetados para garantir a reeleição da Presidente da República, tendo o ministro Gilmar Mendes aduzido que, se soubesse, anteriormente, do que se sabe na atualidade, não estariam aprovadas as contas de campanha”, afirma.

Consciente
Segundo ele, diante dos fatos apresentados, é reforçado o entendimento de que a presidente “agiu com dolo” pelo fato de ela “sempre se mostrar muito consciente de todas as questões afetas ao setor de energia, bem como aquelas relacionadas à área econômica e financeira”.

“Resta também imperioso que se tenha nítido que, em nenhuma medida, considerar a possibilidade de impeachment representa golpe. Muito ao contrário, o que uma verdadeira República não pode admitir é que o governante lance mão de todo tipo de desmando, até com o fim de garantir sua reeleição, ficando blindado à devida ação dos demais poderes”, conclui.

Tramitação
De acordo com a Secretaria-Geral da Mesa, já foram apresentados 17 pedidos de impeachment. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já determinou o arquivamento de cinco desses pedidos por inadequação formal.

Caso haja algum problema no requerimento de Bicudo, Cunha concederá um prazo de dez dias para que ele faça as adequações. O mesmo prazo foi dado às outras pessoas que apresentaram pedidos.

Bicudo
No PT, o advogado foi deputado federal (1991-1994) e vice-prefeito de São Paulo no mandato da atual senadora Marta Suplicy (sem partido-SP). Em 2005, ele deixou o partido, no auge da crise do mensalão, e, em 2010, declarou apoio à candidatura da então senadora Marina Silva à sucessão presidencial.

Com informações da Folha


Curtir: