Articulação

Futuros comandantes da Câmara e do Senado terão R$ 37,8 mi para contratar pessoal

Futuros comandantes da Câmara e do Senado terão R$ 37,8 mi para contratar pessoal. Foto: Agência Senado
Futuros comandantes da Câmara e do Senado terão R$ 37,8 mi para contratar pessoal. Foto: Agência Senado

A disputa pelas vagas da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados e do Senado envolve candidatos de última hora, denúncias contra os favoritos aos cargos e visitas Brasil afora para angariar apoio político. Em meio a tanta peleja e a tantas dúvidas que envolvem a eleição para a presidência e para as secretarias do Congresso, os concorrentes têm pelo menos uma única certeza. Os vitoriosos terão à disposição uma enorme estrutura, que envolve a contratação de um batalhão de funcionários comissionados, além de ampla exposição e poder.

Na ponta do lápis
Levantamento realizado pelo Correio nos dados de pessoal da Câmara dos Deputados mostra que, só para contratar pessoas de confiança, os integrantes da futura Mesa Diretora da Casa terão R$ 22,9 milhões por ano para gastar. Eles poderão ter 288 funcionários à disposição. No Senado, os futuros dirigentes gastarão R$ 14,9 milhões por ano para contratar pelo menos 88 assessores, com salários mensais que chegam a R$ 19,1 mil.

Poder
Além de multiplicar a capacidade de contratação de aliados e correligionários, os futuros ocupantes da Mesa Diretora do Senado e da Câmara vão poder controlar os gastos com passagens aéreas dos colegas e cuidar da parte administrativa das duas Casas. Terão ainda nas mãos atividades ligadas à Corregedoria, com poderes para analisar a conduta de outros parlamentares.

Disputa
Diante de tanto poder e de um orçamento tão expressivo, há brigas entre partidos e até mesmo dentro das próprias legendas. A disputa pela presidência das duas Casas é a contenda mais visível, mas a corrida pelas vagas de secretários também está aquecida nos bastidores, especialmente da Câmara dos Deputados.

Com informações do Correio Braziliense


Curtir: