Economia Nacional

Gabrielli pode sair da Petrobras sem dar início à prometida refinaria do Ceará

No seis anos em que esteve à frente da Petrobras, Gabrielli endossou a promessa da refinaria. Na prática, existe apenas uma pedra fundamental.

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, deixará o cargo em fevereiro para tentar carreira política na Bahia, onde deve assumir uma secretaria no governo Jacques Wagner (PT). A saída ainda não foi divulgada oficialmente, mas nos bastidores a decisão é dada como certa, de acordo com os principais jornais do País.

Gabrielli e o Ceará
Como executivo da Petrobras, Gabrielli ficou conhecido no Ceará por ser o fiador de uma promessa antiga, periodicamente renovada por políticos em campanhas eleitorais: uma refinaria. Embora integre os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a obra não tem previsão orçamentário no plano de investimento da estatal para os próximos anos.

Durante entrevista aqui no Ceará, ainda em 2009, Gabrielli chegou a rir da insistência dos jornalistas sobre o prazo para o início das obras da Refinaria. A entrevista está na reportagem que pode ser vista no link abaixo.

Veja o vídeo:
Obras da refinaria do Ceará não têm data para começar

Leia ainda:
Sonho cearense: refinaria não sairá mais em 2013

Sai Gabrilli, entra Foster
Desde meados do ano passado corre a informação de que a presidente Dilma Rousseff gostaria de substituir Gabrielli pela diretora de Gás e Energia da estatal, Maria da Graça Foster. No entanto, Dilma não estaria disposta a contrariar o ex-presidente Lula, padrinho do presidente da Petrobras.

Desde então, setores do PT, e especialmente o governador baiano, pressionam Gabrielli para que se voltasse ao projeto de buscar uma candidatura ao governo estadual em 2014.

Fevereiro
Espera-se que o afastamento de Gabrielli, que comanda a empresa desde julho de 2005, seja confirmado no dia 13 de fevereiro, quando ocorrerá a primeira reunião do ano do conselho administrativo da estatal.

 


Curtir: