Ceará

Governador recebe ministra para tratar do “Brasil sem Miséria”

Governador Cid Gomes com a ministra Tereza Campêllo durante reunião em Brasília. Foto: MDS

O governador Cid Gomes e secretários de Estado se reúnem nesta quinta-feira (22), às 11h30min, no Palácio da Abolição, com a ministra Tereza Campêllo e técnicos do Ministério do Desenvolvimento Social e do Combate à Fome para discutir o programa “Brasil sem Miséria” e propostas para a redução das desigualdades no Estado. Logo após a reunião, a Ministra concederá entrevista coletiva.

Miseráveis
O objetivo do “Brasil Sem Miséria”, lançado em junho de 2011, é elevar a renda e as condições de bem-estar da população. O programa é direcionado aos brasileiros que vivem em lares cuja renda familiar é de até R$ 70 por pessoa. De acordo com o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estão nesta situação 16,2 milhões de brasileiros, o que representa quase 18% de sua população e cerca de 9% de toda a extrema pobreza do Brasil.

Em termos da quantidade de pessoas vivendo sob estas condições, o Ceará só fica atrás da Bahia (2,4 milhões) e do Maranhão (1,7 milhão).

Ações
O “Brasil Sem Miséria” agrega transferência de renda, acesso a serviços públicos, nas áreas de educação, saúde, assistência social, saneamento e energia elétrica, e inclusão produtiva. Com um conjunto de ações que envolvem a criação de novos programas e a ampliação de iniciativas já existentes, em parceria com estados, municípios, empresas públicas e privadas e organizações da sociedade civil, o Governo Federal quer incluir a população mais pobre nas oportunidades geradas pelo forte crescimento econômico brasileiro.

Grandes Desafios
Segundo Carlos Manso, coordenador de pesquisas do Laboratório de Estudos da Pobreza do Ceará(LEP), esses números alcançados pelo IBGE representam a magnitude dos desafios que nos esperam até 2014, que é o prazo que o Governo Federal, por meio do “Plano Brasil sem Miséria”, estabeleceu para erradicar a extrema pobreza no país e, por consequência, no Ceará.

Necessidade de Planejamento
Desta forma, é imprescindível que o Governo do Estado assuma o planejamento, a coordenação, a articulação, o gerenciamento e o controle das ações necessárias à superação da pobreza extrema no Ceará. “Existem alguns pontos do programa federal que precisam ser indagados. Não é apenas, por exemplo, transferir dinheiro para as famílias assistidas, e tudo será resolvido. É preciso um monitoramento e um acompanhamento para que isso aconteça. O Estado fará isso? Será o Município”, avalia o coordenador.

Sugestões do LEP
Por meio do último relatório, que tem como o tema o Plano Brasil sem Miséria , o LEP sugere algumas propostas para o alcance do objetivo principal do programa. Entre elas, a integração dos diversos programas mantidos pelas secretarias estaduais ou municipais, para que se potencialize o efeito sobre os beneficiários; e o combate efetivo às drogas, uma vez que especialistas avaliam que é muito difícil superar a condição de miséria sem esse combate.