Congresso
Atualizado em: 23/05/2011 - 10:32 pm

Antônio Palocci, ministro da Casa Civil - Foto: Agência-Brasil

A revelação de que o patrimônio pessoal do ministro da Casa Civil, Antônio Palocci, cresceu 20 vezes em quatro anos tem gerado especulações que deixam o governo em situação delicada. Palocci afirma que seu enriquecimento foi legítimo, obtido com serviços de consultoria. No entanto, o ministro não informa quais e para quem foram prestados esses serviços por causa de clásulas de conficialidade em seus contratos.

Nesta segunda, senadores da oposição e até mesmo integrantes de partidos governistas cobraram o afastamento de Antônio Palocci da Casa Civil até que todas as explicações sejam dadas.

O senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) disse que o comportamento de Palocci é “incompatível” com a sua permanência no governo. Segundo Jarbas, há uma maldição da Casa Civil da qual apenas Dilma escapou. “Dirceu, Erenice e agora Palocci foram protagonistas de histórias obscuras e muito mal explicadas.”

A senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), da base governista, lembrou o ex-presidente Itamar Franco, que afastou o então ministro da Casa Civil, Henrique Hargreaves, acusado de irregularidades no cargo.

“Depois do esclarecimento, Hargreaves voltou muito mais fortalecido. Agora, da mesma forma, se poderia esperar que a presidente Dilma preste a esta Casa os esclarecimentos deste caso para não pairar nenhuma dúvida a respeito disto”, afirmou a senadora.

Para o líder do PSDB na Casa, Álvaro Dias, está comprovado que o ministro teria cometido “tráfico de influência” ao estabelecer uma “taxa de sucesso” em sua empresa de consultoria, a Projeto.

A oposição vai tentar aprovar nesta terça-feira, na Comissão de Fiscalização e Controle do Senado, a convocação para Palocci prestar esclarecimentos à Casa.

Com informações da Folha Online

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me