Copa 2014

Grupo protesta em frente à estátua de Iracema contra a realização da Copa do Mundo

A estátua de Iracema já foi ponto de encontro de outra manifestação no dia 7 de setembro de 2013
A estátua de Iracema já foi ponto de encontro de outra manifestação no dia 7 de setembro de 2013

Os protestos contra a realização da Copa do Mundo, que tiveram início de forma pacífica, acabaram em confusão neste sábado (25). Em Fortaleza, houve confronto com a Polícia Militar quando alguns manifestantes chutaram lixeiras. Bombas de efeito moral e balas de borracha foram lançadas contra o grupo.

Palavras de ordem
A insatisfação com os políticos e com os gastos para o evento esportivo foi manifestada em gritos de guerra. Os manifestantes se concentraram na estátua de Iracema, na Avenida Beira-Mar, onde gritavam: “Não vai ter Copa”, “Se não tem Saúde, Educação, Justiça e Liberdade para o povo, não vai ter Copa para patrão”, “Copa é do mundo, menos do brasileiro”.

Força Policial
Por volta das 16 horas, policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) realizaram uma revista e encontraram materiais como baladeiras, máscaras e mochilas que acabaram apreendidas. Duas pessoas também foram detidas, mas liberadas no início da noite, segundo informações da polícia.

Organização
Os protestos foram articulados em 32 cidades, espalhadas por todos os estados.  Os eventos tiveram grande adesão, na internet, e contaram com a presença “blacks blocs”.

Justificativa
Na página do evento em Fortaleza, o texto afirma que “os atos possuem um objetivo em comum: a conscientização da população a cerca do que realmente é a Copa do Mundo de 2014”

E ainda
Os protestos também aconteceram em outras capitais do país. Em São Paulo, a manifestação começou na Avenida Paulista começou por volta das 17h. No Rio de Janeiro, a manifestação também foi marcada por confusão, quando a passeata com cerca de 300 manifestantes chegou ao final da praia de Copacabana, black blocs e policiais militares começaram a se enfrentar. No Recife, cerca de 100 pessoas participam de uma caminhada pacífica na Avenida Agamenon Magalhães.


Curtir: