Eleições 2018

Grupos de Cid e Eunício antecipam clima de disputa eleitoral

A pouco mais de um ano das eleições, políticos cearenses começam a se articular para ampliar as representações partidárias nos municípios e pôr em prática uma agenda política visando a disputa de 2018. O final de semana foi palco de eventos dos grupos adversários comandados por Eunício Oliveira (PMDB) e os irmãos Cid e Ciro Gomes (ambos do PDT).

Em eventos distintos, lideranças anteciparam o clima da disputa eleitoral, numa prévia do embate que deve acontecer no próximo ano. De um lado, o ex-governador Cid Gomes (PDT) disse que a política “chegou ao fundo do poço”, na falta de credibilidade e prometeu “participação ativa” da legenda na eleição de 2018, com foco principal na disputa do irmão, Ciro Gomes, para a sucessão presidencial. Na outra ponta, o senador Eunício Oliveira disparou contra o antigo aliado, afirmando que seria mais fácil sair da política que apoiar “esse cidadão chamado Ciro Gomes, que só sabe denegrir”.

Cid ressalta a falta de credibilidade da política

Ciro 2018
O PDT, que lidera aliança com outras 15 outras siglas, pretende se engajar na campanha de Ciro Gomes para a Presidência da República. Para isso, realizará série de encontros regionais, que serão promovidos em diversas cidades cearenses até 12 de agosto, quando acontecerá o encontro final, em Fortaleza. O primeiro ocorreu no último sábado em Sobral. A ideia é animar as bases nas regiões para a eleição de 2018.

“Essa eleição de 2018 será marcante para a História do Brasil. Nós, tivemos um período de profunda decepção do povo brasileiro. A política chegou ao fundo do poço da falta de credibilidade. É importante que o nosso partido esteja afinado com o sentimento das suas bases”, disse o ex-governador Cid Gomes, acrescentando que o desejo da sigla é ampliar suas representações na Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Mas, segundo ele, o foco principal é a disputa pela Presidência da República. Quanto à sucessão estadual, Cid disse que o PDT terá uma “participação ativa”.

Para o prefeito Roberto Cláudio (PDT), as qualidades das gestões municipais e dos mandatos parlamentares farão da legenda ainda mais forte em 2018.

Oposição
Do outro lado, os partidos que foram o grupo de oposição ao governo Camilo Santana, também começaram a afinar as estratégias que pretende colocar na rua no ano que vem. No final de semana, no município de Limoeiro do Norte, uma reunião marcou o pontapé inicial para construção de uma agenda que terá como objetivo se contrapor ao projeto do grupo liderado pelos irmãos Ferreira Gomes, aliados de Camilo.

Eunício rejeita antigos aliados “Eu não me junto com gente desse tipo”

O encontro, que contou com a presença do presidente do Senado, o cearense Eunício Oliveira (PMDB), reuniu deputados federais e estaduais, vereadores, prefeitos e lideranças do PMDB, PSD, PSDB, PMB, PR e Solidariedade. O senador Tasso Jereissati (PSDB) não compareceu, mas foi “representado” por lideranças do seu partido.

Cenários
Na ocasião, Eunício falou sobre os cenários nacional e local e perspectivas políticas para o próximo ano, além de fazer o anúncio da publicação no Diário Oficial da União, da liberação de R$ 516 milhões para a conclusão da obra da transposição das águas do São Francisco. Sobre o embate político, Eunício procurou deixar claro que “em nenhum momento” tem tratado de nomes para disputar a sucessão de Camilo Santana. Durante discurso, ele considerou, ainda, que o fundamental no diálogo entre as lideranças é a construção de uma agenda positiva para o estado.

Crítica
Eunício criticou também as recentes gestões do Governo Estadual. “Aqui no Ceará gastaram milhões com obras megalomaníacas, inacabadas e sem serventia ou consulta à população. Porque motivo gastar o montante de R$ 128 milhões com os tatuzões e mais de 140 milhões com o Acquario?”, questionou Eunício.

“Eu não me junto”
À imprensa, o peemedebista foi mais enfático e teceu críticas ao ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República em 2018, Ciro Gomes, de quem era aliado até 2014. “A oposição terá candidato ao Governo e candidato na chapa majoritária para senador. Ninguém se iluda. Eu saio da política, mas não faço acordo com esse cidadão chamado Ciro Gomes, que só sabe denegrir. Ninguém sabe do que ele vive, mas vai todos os dias para as rádios e televisão denegrir a vida alheia. Eu não me junto com gente desse tipo”, disse Eunício.

E ainda
Em tom mais ameno, o presidente estadual do PSD, deputado federal Domingos Neto, ressaltou, durante o encontro, a necessidade de lutar por mais qualidade de vida e oportunidades para os cearenses. Para isso, Domingos destacou que a bancada federal está unida em Brasília na busca de recursos para o Estado e de projetos que tragam mais desenvolvimento para o Ceará.

Com informações do OE


Curtir: