Bastidores

Haddad troca acusações com deputado eleito no Ceará

O deputado eleito pelo PSL usou seu alcance nas redes sociais para questionar o petista. Foto: Reprodução Facebook

A passagem do candidato à presidência Fernando Haddad (PT) pelo Ceará, no último fim de semana, deixou em seu rastro uma polêmica: o desaparecimento de uma Bíblia Sagrada durante o ato realizado na Praça do Ferreira, no último sábado (20).

O caso motivou uma troca de acusações entre o petista e André Fernandes (PSL), deputado eleito no Ceará para a Assembleia Legislativa no pleito do último dia 7.

A repercussão começou no último domingo, quando André, que havia conseguido notoriedade antes das eleições com seu canal no YouTube, publicou um vídeo sobre o assunto. Nele, o deputado eleito mostra imagens do comício do dia anterior, em que um ativista “petista evangélico” entregou para o presidenciável uma Bíblia como presente.

O ativista, identificado como Erineudo Lima, se apresenta como presidente do PT do município de Acarape, onde também é estudante da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). “Esta Bíblia Sagrada é enviada por todos os evangélicos de Acarape, que, lendo a Bíblia, têm a certeza que vossa excelência realmente é o candidato que representa Jesus”, diz ele na gravação, entregando o presente.

Vídeo
André, em seu vídeo, aparece segurando o mesmo livro – identificado pela dedicatória escrita para Haddad – na Praça do Ferreira, contando que ele foi encontrado jogado no chão do local, “como se fosse no lixo”. “Cadê teu compromisso com teus eleitores? Tu tenta enganar quem? Tu tava na igreja com tua vice, até hóstia recebeu, ganhou de presente uma Bíblia Sagrada e no outro dia amanhece jogada no chão”, questiona ele, assegurando que, se o candidato quiser reaver o livro, fará questão de entregá-lo pessoalmente. “Você, que está assistindo, compartilha o máximo possível, para todos saberem a real índole desse cara chamado Fernando Haddad”, completa.

Resposta
Na segunda-feira (22), Haddad respondeu sobre o ocorrido em coletiva de imprensa. Segundo ele, a Bíblia havia sido entregue a sua esposa, que a guardou em uma escola que permaneceu no palco durante o restante do comício. Em determinado momento, continua, o livro sumiu. “Imaginamos que alguém tenha pego a Bíblia, ligamos para várias pessoas para saber o paradeiro dela, não encontramos. Aí surge hoje um vídeo dessa Bíblia na mão de um deputado do partido do Bolsonaro, dizendo que a encontrou no lixo”, pontua.

O petista, então, diz acreditar ser vítima de uma estratégia para desacreditá-lo junto à comunidade cristã. “Na verdade, hoje, sabemos que a Bíblia foi furtada em virtude do vídeo, porque senão não estaríamos até agora procurando junto a correligionários nossos que estavam no evento”, diz ele.

“Fake”
Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o presidenciável conta que na mesma situação o celular de um assessor de sua campanha foi furtado. “Atenção para a produção de fake news. Esse povo joga muito sujo, muito pesado. O Nordeste vai ser, nessa semana, bombardeado com WhatsApp pago com dinheiro sujo, dinheiro de caixa dois, não se deixe iludir”, alertou.

B.O
Em entrevista ao jornal O Estado, André Fernandes rebateu a acusação. “Ele falou que todo mundo ficou louco atrás da Bíblia, procurando. Se eles estavam nessa loucura toda para achar, por que vieram se manifestar só depois do meu vídeo?”, questiona. O deputado eleito pede, também, que a equipe do candidato, já que alega ter sido furtada, mostre um boletim de ocorrência documentando o crime. “Tenha também a coragem de assumir a responsabilidade com o eleitor, pedir desculpas. Recebeu o presente e no outro dia achar ele jogado no chão”, reforça.

Com informações do OE


Curtir: