Conexão Assembleia

Halder Gomes fala sobre cearensidade e cinema no Conexão Assembleia

Halder Gomes fala sobre cearensidade e cinema no Conexão Assembleia. Foto: Paulo Rocha
Halder Gomes fala sobre cearensidade e cinema no Conexão Assembleia. Foto: Paulo Rocha

O Conexão Assembleia, da rádio FM Assembleia (96,7MHz), entrevistou, na manhã desta segunda-feira (05/07), o cineasta, produtor e ator Halder Gomes. O artista detalhou como contribuiu para que o cinema captasse o que é ser cearense, e a importância de filmes como Cine Holliúdy para a autoestima da população do Estado, e sua “cearensidade”.

Na entrevista, comenta o que é a “cearensidade” que ele conseguiu transpor para o cinema e apontou que a publicidade “falava para um cearense que ele não era cearense”, cenário que avalia estar mudando.

“Hoje, você vê o jornal do meio-dia, a linguagem virou outra. As pessoas da Aldeota pensavam que não falavam cearensês, como o povo do Interior. Mas hoje existe um orgulho da cearensidade, assim como a baianidade, com os baianos. O filme Cine Holliúdy foi um divisor de águas. Materializou esse sentimento de forma concreta”, teoriza.

O diretor celebrou a fase atual da carreira, em que é possível escolher os projetos em que participa, e analisou a fama. “O que é o sucesso no final das contas? Poder escolher! Não foi fácil, faria tudo de novo, mas o que é mais gratificante de tudo? Não passar mais pelo que passei. Segundo: poder fazer escolhas. Fazer só o que eu quero fazer. Chove de propostas, mas vou escolher só o que me seduz”, comemora o cineasta.

O Ceará, segundo destacou, é berço de inúmeros artistas talentosos e ele torce para que as histórias dessas pessoas sejam contadas. Para ele, todos merecem um grande filme, como é o caso de Chico Anysio, Ademir Martins, Raimundo Cela, Chico da Silva, Paulo Abel, Belchior, entre outros.

Em meio a dúvidas sobre como será a retomada do cinema pós-pandemia, Halder Gomes avalia o impacto da crise sanitária na indústria cinematográfica. De acordo com ele, a alternativa para seguir as produções foi a adoção de protocolos de saúde muito rígidos para garantir a segurança das equipes. O diretor afirmou ainda que a torcida é para que, após a crise, o maior número possível de salas de cinema consiga “sobreviver”.

“Foi um momento bem difícil para a nossa indústria. A nossa cadeia produtiva foi sufocada no berço, na produção, e também na exibição, nos cinemas. Ficamos tentando entender como seria possível se adaptar a esse período tão complexo que estamos vivendo. Houve um momento em que a indústria parou e formou protocolos rígidos. Talvez só menos rígidos que a saúde. E então, conseguimos reescrever histórias que foram possíveis adaptar para esse momento. Já outras vão ter que esperar para serem filmadas”, relembra Halder Gomes.

Mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, o diretor apontou que desenvolveu projetos que devem ser filmados em breve, foi gravado cerca de 25% da segunda temporada da série Cine Holliúdy, produziu o curta-metragem “Cóu Istories”, além de estar com o drama Vermelho Monet, em fase de conclusão. Também planeja executar projetos futuros na cidade de Quixeramobim.

Vídeo
Halder Gomes dirigiu filmes como Cine Holliúdy, O Shaolin do Sertão, Os Parças, Edmilson Filho Em: Notas, Uma Comédia de Relacionamentos, As Mães de Chico Xavier e outros. Além de diretor, Halder é roteirista, produtor, artista plástico, mestre de artes marciais e um apaixonado por futebol.É possível conferir a entrevista completa com o cineasta Halder Gomes no Canal do YouTube da TV Assembleia, através do link abaixo.

Conexão Assembleia é um programa multiplataforma da rádio FM Assembleia. É exibido nas segundas-feiras, às 8h, na emissora, no Youtube e no Facebook da Assembleia Legislativa. A produção também vai ao ar, às 20h30, na TV Assembleia.

Com informações da Agência de Notícias da AL


Curtir: