Ceará

Heitor Férrer pede abertura de CPI para investigar denúncias contra Cagece

Heitor
Deputado já começou a coleta de assinaturas

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT) pediu na manhã desta terça-feira (20), na Assembleia Legislativa, a instalação de um Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias de irregularidades existentes em contratos firmados entre a Cagece e a empresa Allsan Engenharia.

O parlamentar já começou a fazer a coleta de assinaturas para tornar possível a abertura da comissão. A ação se deve às denúncias feitas pelo relatório de Inteligência da Operação Águas Claras, em que cita o deputado federal cearense, José Guimarães (PT), na investigação sobre empresários acusados de corrupção e fraudes em licitações de prestadoras de serviço a autarquias de água e esgoto de municípios de quatro Estados, incluindo a Cagece.

“O governador Cid Gomes pediu que o Ministério Público investigue a suposta fraude, mas ele esquece que, antes do MP, existe o poder legislativo, que tem a função de fiscalizar. Espero que, por orientação dele a bancada governista também assine o pedido de CPI”, diz Heitor.

Leia aqui:
José Guimarães é citado em relatório que investiga esquema de corrupção e fraudes em licitações

Quem já assinou
Além do próprio Heitor, os seguintes deputados que já assinaram o pedido de CPI: Eliane Novais (PSB), Roberto Mesquita (PV) e o governista Ferreira Aragão (PDT).  Férrer acrescentou que o problema da falta de abastecimento registrada na última quinta-feira já renderia um pedido de CPI, mas esclareceu que a preferência foi dada às denuncias.

Falta d’agua
Heitor, porém, revelou que a falta d’agua vai, a pedido dele, ser investigada na Comissão de Fislização e Controle da Assembleia Legislativa, que vai propor uma audiência pública com todos os envolvidos.

Exoneração
Na última quarta-feira (14), o ex-diretor comercial da companhia, Antônio Alves Filho, pediu a exoneração do cargo e enviou uma nota para explicar quais procedimentos foram adotados para investigar as denúncias.

Com a colaboração de Alan Barros


Curtir: