Eleições 2016

Hugo diz que legislação eleitoral induz caixa dois e avalia que candidatos não respeitarão teto

Hugo diz que legislação eleitoral induz caixa dois e avalia que candidatos não respeitarão teto
Hugo diz que legislação eleitoral induz caixa dois e avalia que candidatos não respeitarão teto

O deputado Fernando Hugo (PT) avalia que a legislação eleitoral, aprovada pelo Congresso e que irá vigorar este ano, no pleito municipal, será uma indução a formação de caixa dois pelas campanhas.

Para o parlamentar, não há condições de um candidato a prefeito de Fortaleza gastar “apenas” R$ 9 milhões e o um vereador da Capital R$ 350 mil, conforme preceitua a lei eleitoral vigente.

Ao mesmo tempo, diz que há “uma hipocrisia”, ao criar limites de gastos e não oferecer meios para o Ministério Público eleitoral fiscalizar o pleito.

Só na conversa
Fernando Hugo lembrou que já pediu, através de requerimentos, mais de 12 audiências e sessões especiais para debater a reforma política partidária, com a vinda de congressistas. Porém, nenhuma das sugestões apresentadas chegou a ser efetuada. “Nunca foi feita a reforma que a população almeja. Só acontecem suturas vergonhosas”, avaliou.

Contas fantasiosas
De acordo o deputado, os candidatos irão burlar a legislação, apresentando prestações de contas fantasiosas à Justiça Eleitoral. “Isso me deprime. Se não for efetivamente feita uma reforma política eleitoral partidária, o País continuará na mesma podridão em que vive.”

Remendos
Para Fernando Hugo, a legislação sequer assegura ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) viaturas para fiscalizar. “É um texto legal mentiroso. Nunca se evoluiu para essa reforma desejada por todos. Só se colocam remendos na legislação. Controle de gastos de campanha sem Ministério Público Eleitoral em condições de fiscalizar é só para induzir a formação de caixa dois nas campanhas”, acrescentou.


Curtir: