Fortaleza

“Improviso”: Recuo sobre Praça Portugal gera críticas de vereadores

Opositores dizem que decisão demonstra “falta de planejamento” do prefeito Roberto Cláudio. Foto: Genilson de Lima/CMFor
Opositores dizem que decisão demonstra “falta de planejamento” do prefeito Roberto Cláudio. Foto: Genilson de Lima/CMFor

O recuo da Prefeitura de Fortaleza em relação à demolição da Praça Portugal repercutiu no Legislativo municipal. Após divulgação da reestruturação do projeto anterior, segundo o qual foi revisto pelo Executivo, o vereador Deodato Ramalho (PT) classificou a medida como “demonstração de falta de planejamento”.

“Parece que as coisas são feitas de improviso. O mais lamentável é que fica neste vai e vem de projetos e gastando dinheiro público com discussão e contratação de empresas para elaborarem projetos. Além do aspecto financeiro, demonstra que a Prefeitura não sabe o que quer. Parece capricho”, salientou o petista, acrescentando que “demonstra uma insegurança por parte do Governo”.

Segundo nova proposta, dentre as mudanças revistas, estão à manutenção da Praça, apenas com redução no diâmetro do equipamento. Além disso, o espaço contará com quatro faixas de trânsito ao redor da rotatória – uma delas exclusiva para ônibus.

Mudança
O vereador João Alfredo (PSol) também fez questão de registrar a mudança de posicionamento do prefeito Roberto Cláudio (PDT). “Vieram com todas as loas ao prefeito porque este resolveu não mais destruir a Praça, mas, durante os últimos anos, os que defendiam a manutenção do equipamento foram massacrados, porque a Prefeitura dizia que só tinha uma única saída: derrubar a praça”, enfatizou, acrescentando que “eu não tenho expertise técnica para dizer que essa é uma boa ou a melhor solução, mas tem três aspectos importantes a serem observados. Primeiro, a vitória em defesa do patrimônio cultural e juntando com a disputa eleitoral, mostra que existe um desgaste do prefeito, que comprou briga com o desmatamento no Parque do Cocó e com a Praça Portugal, além de não ter se alcançado o financiamento necessário para a obra”.

Para ele, as eleições do próximo ano marca uma mudança de postura por parte de Roberto Cláudio, que nos últimos dias recuou por duas vezes: uma delas, a ocupação da Secretaria Municipal de Cultura e, agora, a sinalização de mudança no projeto da Praça Portugal.

“Requalificação”
Ao contrário dos opositores, o líder do Governo, vereador Evaldo Lima (PCdoB), minimizou a mudança da Prefeitura em relação ao projeto. “É mais uma demonstração da capacidade de diálogo, com apresentação e realização de obras para uma cidade melhor. É a mesma posição sobre os viadutos da Engenheiro Santana Júnior e …, que, hoje, nós temos a clara percepção da melhoria da mobilidade da cidade”, disse, acrescentando que, em nenhum momento, a gestão municipal falou em demolição. “Em todos os debates, inclusive, na matéria votada na Câmara, falávamos da requalificação da praça”.

Indefinição
O líder do Governo não soube informar sobre a necessidade de outra votação da matéria. Para tirar as dúvidas, o comunista se reunirá, hoje, com assessoria jurídica da Procuradoria Geral do Munícipio (PGM). Na sua leitura inicial, deve ocorrer nova votação do projeto de requalificação da Praça Portugal.

Com informações do OE


Curtir: