Polêmica
Atualizado em: 06/07/2011 - 5:48 pm

A presidente Dilma Rousseff bem que tentou, mas não conseguiu segurar o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que entregou pedido de demissão nesta quarta-feira (6), após série de denúncias sobre irregularidades ocorridas na Pasta. Um dia antes, em comunicado oficial, a presidente havia reafirmado a “confiança” em Nascimento. Hoje, depois da divulgação de novas denúncias envolvendo o republicano, a situação ficou insustentável.

É a segunda baixa de ministros do Governo Dilma, envolvidos em escândalos, em menos de 30 dias. Primeiro caiu Palocci (Casa Civil) e agora Nascimento. Os dois, da mesma forma, não chegaram a ser demitidos pela presidente, mas foram pressionados a pedir demissão.

Reprodução da Capa da revista Isto é que chega as bancas nesta quarta-feira (06)

A revista ISTOÉ que chegou às bancas de todo o país nesta quarta-feira (06) revela novas denúncias contra o agora ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento.

Um vídeo, obtido com exclusividade pela publicação, mostra como o então ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, e o deputado Valdemar Costa Neto, um dos principais dirigentes do PR, “engrossam a bancada da sigla no Congresso trocando filiações partidárias por milionárias obras públicas”.

Leia ainda: A denúncia que Cid ameaçou fazer, mas não fez

No vídeo, Alfredo Nascimento libera dinheiro público para o deputado Davi Alves da Silva Junior deixar o PDT e se filiar ao PR. As imagens também comprovam que o “mensaleiro” Valdemar Costa Neto faz os acordos usando o orçamento do ministério dos Transportes.

Vale lembrar que Valdemar Costa Neto é réu no processo do Mensalão. Ele é acusado de receber R$ 11 milhões do publicitário Marcos Valério.  

A reportagem da ISTOÉ, assinada por Lúcio Vaz e Sérgio Pardellas, revela que:

“Na tarde de 24 de junho de 2009, o ministro Alfredo Nascimento recebeu em seu gabinete o deputado Davi Alves da Silva Júnior, então no PDT, para negociar a liberação de obras na rodovia BR- 010. Embora não tenha sido focalizado pelo cinegrafista, o deputado Valdemar Costa Neto também estava no gabinete e participou de toda a conversa”.

O vídeo mostra que, durante a conversa, no gabinete do então ministro, Nascimento deixa claro que o deputado pode obter mais recursos do ministério quando trocar o PDT pelo PR. Participam do encontro o ministro Nascimento, Costa Neto, o deputado Davi Alves da Silva Júnior, na época filiado ao PDT do Maranhão, e um assessor do parlamentar. A reportagem destaca ainda:

“A reunião é rápida e as imagens se concentram na mesa da sala de reuniões do gabinete do ministro, onde estão sentados Nascimento e Davi Júnior. Na conversa, o ministro custa a entender o pedido formulado pelo parlamentar para obras na rodovia BR-010, no Maranhão, até que pergunta a Costa Neto: “Ah! É aquele negócio que tu me pediste?”

Confirmada a transação, o ministro comenta com Davi: “Rapaz, tu não tá nem no partido e já tá conseguindo arrancar as coisas daqui. Imagina quando estiver no partido!”. Na sequência da declaração nada republicana, Nascimento e Costa Neto soltam uma sonora gargalhada. E, mais tarde, Davi Júnior vai de fato parar nas fileiras do PR e é agraciado com mais liberações milionárias pelo ministro.”

Para ver a reportagem na íntegra, clique aqui. O site da revista Isto é também disponibiliza o vídeo citado na reportagem.

Leia mais: Governo Dilma decide demitir Ministro dos Transportes

Cid Gomes
O ministro Alfredo Nascimento ficou bastante conhecido aqui no Ceará depois que o governador Cid Gomes decidiu reclamar da condição das estradas federais que cortam o estado e acabou disparando críticas contra Nascimento.

Cid Gomes não explicitou as denúncias mas classificou o ministério dos Transportes de “laia”, o DNIT de “quadrilha” e citou um “antro de roubalheira”. O governador ainda chamou Alfredo Nascimento de “inépto, incompetente e desonesto”.

Leia mais:
Cid lança “Rally dos buracos”, classifica ministério dos Transportes de “laia” e Dnit de “quadrilha”
Áudio: Cid diz que Ministro é ” inepto, incompetente e desonesto”

Palocci
Está é a segunda baixa na equipe de ministros de Dilma Rousseff por denúncias envolvendo os gestores em menos de um mês. No dia 7 de junho, o então ministro Antônio Palocci anunciou a demissão do cargo de chefe da Casa Civil da Presidência da República após a divulgação de sua evolução patrimonial de 20 vezes em apenas quatro anos.

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me