Bastidores

João Ananias defende volta da CMPF

João Ananias defende volta da CMPF
João Ananias defende volta da CMPF

Para o ex-secretário de Saúde do Ceará, João Ananias, o retorno da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras), o imposto sobre transações financeiras, pode ser a base para implantação de uma estrutura mais justa para o Sistema Único de Saúde (SUS), justificando que o País necessita cada vez mais de recursos para financiar o setor.

“Imposto do cheque”
O Governo Federal passou a discutir com aliados a possibilidade de aprovar, no Congresso Nacional, uma proposta para voltar a tributar as transações bancárias. Criada em 1997 pelo governo Fernando Henrique Cardoso, a CPMF acabou extinta pelo Legislativo em 2007, já no segundo mandato de Lula à frente do Palácio do Planalto.

“Justo”
Ananias afirma que a emenda 29 e o projeto Saúde Mais dez não emplacaram. “Essa [CPMF] é um formato justo que vai incidir em cima daquelas pessoas que ganham mais, que podem pagar mais um pouquinho de imposto e não fazem isso, porque ainda não foram obrigadas”, destacou, lembrando que o imposto tem valor de 0,38%, sendo que 0,20 vão para a previdência social e 0,18 divididos em partes iguais para os fundos municipais e estaduais de saúde.

E ainda
Caso aprovado, segundo o ex-secretário, o imposto irá arrecadar aproximadamente R$ 50 bilhões por ano e, portanto, ajudará a salvar áreas que estão “naufragando”, como a previdência social, prefeituras e estados.

Com informações do OE


Curtir: