Ceará

Jovens do Litoral Oeste debatem uso da internet no turismo comunitário

Jovens do Litoral Oeste debatem uso da internet no turismo comunitário
Jovens do Litoral Oeste debatem uso da internet no turismo comunitário

Jovens da Zona Costeira do Ceará pensando e produzindo comunicação com horizonte nos desafios do turismo comunitário é a proposta que orienta a segunda oficina de comunicação da Escola Popular de Turismo Comunitário, agora no litoral oeste.

O encontro acontece neste sábado (17), no município de Itapipoca, e a facilitação mais uma vez está por conta da jornalista Camila Garcia.

Oficina
A oficina dá continuidade aos debates sobre comunicação popular que ocorreram nos últimos módulos da Escola, se dedicando a atividades práticas com o objetivo da oficina é transformar reflexões em produtos e potencializar o uso da Internet e das redes sociais para a divulgação das lutas comunitárias e promoção da Rede Tucum.

Iniciativa
A Escola é uma iniciativa de formação do Instituto Terramar inscrita nos marcos da educação popular e destina-se às juventudes de comunidades da zona costeira do Ceará. A formação em comunicação, além disso, também integra as ações do projeto Rede Tucum – Tecendo Comunicação Solidária, realizado com apoio do Instituto Oi Futuro através do Programa Oi Novos Brasis.

Objetivo
A Escola Popular de Turismo Comunitário tem como objetivo fortalecer a participação dos sujeitos juvenis nos processos produtivos, organizativos, culturais, sociais e políticos das comunidades, estimulando a auto-organização e a formação da juventude para o turismo comunitário e atividades relacionadas. Para isso, utiliza metodologias que articulam dimensões políticas e técnicas, inovações tecnológicas e atividades tradicionais, teoria e prática, a partir de um regime de alternância, intercâmbios e diálogos entre gerações.

Tucum
O projeto Rede Tucum: Trabalho, Juventude e Território é uma iniciativa do Instituto Terramar com o objetivo de fortalecer a Rede Tucum como uma tecnologia social e produtiva estratégica na defesa do território e dos modos de vida e trabalho e no exercício de direitos das comunidades tradicionais costeiras, potencializando a pesca artesanal, a diversidade econômica local e o envolvimento da juventude.


Curtir: