Ceará

Juíza Maria Gladys Veira Lima é eleita desembargadora do Tribunal de Justiça do Ceará

Juíza Maria Gladys Veira Lima é eleita desembargadora do Tribunal de Justiça do Ceará. Foto: TJCE
Juíza Maria Gladys Veira Lima é eleita desembargadora do Tribunal de Justiça do Ceará. Foto: TJCE

O Pleno do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) elegeu, na quinta-feira (07/03), a juíza Maria Gladys Lima Vieira para o cargo de desembargador. A escolha ocorreu pelo critério de antiguidade, durante sessão conduzida pelo presidente da Corte, desembargador Luiz Gerardo de Pontes Brígido.

“Que Deus a ilumine em sua nova missão, para continuar o bom trabalho realizado na Justiça de 1º Grau”, disse o presidente do TJ. A magistrada ocupará a vaga da desembargadora Edite Bringel Olinda Alencar, aposentada no último dia 30 de janeiro.

Posse
A solenidade de posse está marcada para 16h da próxima quinta-feira (14/03), no Palácio da Justiça, bairro Cambeba, em Fortaleza. A saudação à nova integrante será feita pelo desembargador Francisco José Martins Câmara.

Composição
Com a posse da magistrada, o Tribunal passará a contar com 42 desembargadores, restando apenas o preenchimento da vaga destinada à Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Ceará (OAB-CE).

Perfil
Natural de Fortaleza, Maria Gladys Lima Vieira nasceu em 19 de agosto de 1948. É filha de Gerardo Cardoso da Silva e Zenaide Lima e Silva. O ingresso na magistratura cearense ocorreu em 24 de outubro de 1986. Ela assumiu inicialmente as funções de juíza substituta na Vara Única da Comarca de Parambu. Depois passou pelas comarcas de Camocim, Acopiara e Quixadá.

Em 1993, foi promovida para a 9ª Vara Cível de Fortaleza. Na Capital, atuou também na 19ª Vara de Família e na 3ª Vara de Sucessões. Em 2012, a magistrada substituiu, temporariamente, a desembargadora Maria Iracema Martins do Vale, na 4ª Câmara Cível do TJCE. Neste ano, foi convocada para compor a 7ª Câmara Cível e as Câmaras Cíveis Reunidas, na vaga deixada com a aposentadoria do desembargador Ernani Barreira Porto.

 Com informações do TJCE


Curtir: