Nacional

Justiça Federal determina suspensão das atividades do Instituto Lula

Juiz Ricardo Augusto Soares Leite alegou na decisão que há indícios ‘veementes’ de que crimes podem ter sido ‘iniciados ou instigados’ na entidade; instituto não comentará decisão

O juiz substituto Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal Criminal de Brasília, determinou, a pedido do Ministério Público Federal, a suspensão das atividades do Instituto Lula, entidade comandada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No despacho, assinado no último dia 5 e publicado nesta terça, o magistrado justificou que há indícios “veementes” de “delitos criminais” que podem ter sido iniciados ou instigados na sede do instituto, localizada em São Paulo.

O assessor de imprensa do Instituto Lula, José Chrispiniano, afirmou por telefone que o instituto “não vai comentar a decisão, pois ainda não foi oficialmente notificado”.

Despacho
“Como o próprio acusado [Lula] mencionou que no local [sede do Instituto Lula] se discutia vários assuntos, e há vários depoimentos que imputam pelo menos a instigação de desvios de comportamentos que violam a lei penal, a prudência e a cautela recomendam a paralisação de suas atividades. Há indícios abundantes de que se tratava de local com grande influência no cenário político do país, e que possíveis tratativas ali entabuladas fizeram eclodir várias linhas investigativas”, escreveu o juiz de Brasília em um trecho do despacho.

Comunicação
Para assegurar o cumprimento da decisão, o magistrado determinou que a superintendência da Polícia Federal em São Paulo, a Junta Comercial paulista e o presidente do Instituto Lula sejam comunicados da medida cautelar.

Investigação
De acordo com a força-tarefa da Operação Lava Jato, o terreno onde a sede do instituto foi construída foi adquirido pela Odebrecht em troca de contratos firmados pela empreiteira com a Petrobras. Instituto Lula afirmou que “funciona em uma casa adquirida em 1991, onde antes funcionava o Instituto da Cidadania. Não existe ‘novo Instituto Lula’. Todas as doações ao Instituto Lula, fundado em agosto de 2011, são legais e registradas com notas fiscais”.

Bumlai
Nesta terça, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o pecuarista José Carlos Bumlai disse que o novo Instituto Lula “surgiu de uma conversa com a dona Marisa”. Ele afirmou que era amigo da família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas que, atualmente, não o vê há muito tempo.

Com informações do G1


Curtir: