Fortaleza

Justiça nega pedido de relaxamento da prisão do vereador “A Onde É”

Vereador "Aonde É" teria comprado apartamentos e carros de luxo durante o primeiro ano de mandato, segundo o MP. Foto: CMFor
Vereador “Aonde É” teria comprado apartamentos e carros de luxo durante o primeiro ano de mandato, segundo o MP. Foto: CMFor

A juíza Cristiane Maria Martins Pinto de Faria, titular da 10ª Vara Criminal de Fortaleza, negou, nesta quarta-feira (1º/10), o pedido de relaxamento da prisão do vereador Antônio Farias de Sousa, mais conhecido como “A Onde É” (PTC), que foi preso em flagrante, na última sexta-feira (20), acusado pelo crime de concussão, por pegar para si, o salário de R$ 1.900,00 de um de seus assessores.

A denúncia partiu de um assessor que acusou o parlamentar de forçá-lo a entregar a remuneração mediante ameaça e intimidação.

Pedido
O advogado do parlamentar, Leandro Vasquez, entrou com o pedido na última segunda-feira (29), alegando que a liberdade de Antônio Farias não representa risco à conveniência da instrução criminal, ou mesmo à ordem pública, vez que a intenção do vereador não é conturbar, mas contribuir para o deslinde do presente feito.

Leia ainda:
MP investiga vereador “Aonde É” por irregularidades no uso de verba pública
Câmara de Fortaleza gasta R$ 4 mi com passagens e R$ 9,7 mi em vales-refeição

Grave
Ao analisar o caso, a magistrada afirmou que “a extrema gravidade da conduta praticada pelo suplicante demonstra ser imperiosa a manutenção de sua clausura provisória, como única forma de garantir a ordem pública”. A juíza também destacou que, “sendo assim, verifica-se a presença, in casu, dos requisitos da custódia cautelar, vez que, a presente prisão visa a garantia da ordem pública, aplicação da lei penal e trata-se de crime punido com pena máxima superior a quatro anos”.

Com informações do TJCE


Curtir: