Tribunais

Justiça reafirma ilegalidade da greve dos professores

O Juiz Jucid Peixoto do Amaral negou pedido do Sindiute

O pedido de liminar impetrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute) e pela União dos Trabalhadores em Educação no Ceará (UTE) no Tribunal de Justiça do Ceará foi negado pelo desembargador Jucid Peixoto do Amaral, na quinta-feira (23), durante o Plantão Judiciário do feriado de Corpus Christi.

O desembargador confirmou a ilegalidade e abusividade da greve e determinou o imediato retorno dos professores às atividades no prazo de 48 horas.

Greve
No entanto, os professores não esperaram o término do prazo e decidiram na manhã de sexta-feira (24), suspender a paralisação, mas mantendo a categoria em estado de greve.

Leia ainda: Professores do município decidem suspender greve, mas mantêm mobilização

Mérito
O mérito da matéria, no entanto, ainda não foi julgado. Após a decisão que indeferiu a liminar, o processo referente à greve foi ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), onde aguarda julgamento.

Com informações do TJCE


Curtir:


5 thoughts on “Justiça reafirma ilegalidade da greve dos professores

  1. Dr. Jucid, agora faça com que a Prefeita pague o Piso (e atenda toda a lei) ou a Justiça só engrossa o pescoço contra o trabalhador?

  2. E até quando a prefeitura de Fortaleza descumprirá a lei do piso salarial dos professores e uma série de outros direitos que nos está sendo negado pela prefeita?

  3. Hoje no EMEIF Papa João XXIII da Regional 4 a aula terminou as 10 horas pois as crianças estavam com muita fome e não tinha merenda na escola. Jangadeiro a TV da verdade faça uma reportagem mostrando a realidade das escolas de Fortaleza, acabem com as mentiras dessa prefeita. Ela queria que a greve acabasse porque as crianças estavam sem a merenda e agora as aulas voltam sem merenda.Que absurdo! Mande uma equipe as 9 horas(hora da merenda) e verão a verdade.

  4. valeu ministe´rio publico do ceará..tem nota 1000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

Comments are closed.