Ceará

Lideranças do Ceará reafirmam preocupação com a seca

Raimundo Gomes de Matos já avalia que as obras de transposição do São Francisco serão prejudicadas. Foto: Agência Câmara
Raimundo Gomes de Matos já avalia que as obras de transposição do São Francisco serão prejudicadas. Foto: Agência Câmara

Os políticos cearenses têm se mostrado preocupados com a falta de água e articulam para que os projetos de combate à seca não sejam afetados pelas medidas econômicas do Governo Federal. Para o deputado licenciado Osmar Baquit (secretário estadual da Pesca), a única solução para combater a estiagem é o cumprimento da promessa do governo Dilma Rousseff de concluir a transposição do Rio São Francisco até julho de 2016.

“No atual momento, não vejo outra solução para a seca continuada do Ceará do que a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco”, disse, acrescentando que, fora isso, só a construção de poços profundos nas sedes municipais, incluindo Fortaleza. O parlamentar lembra que o estoque de água nos açudes cearenses, incluindo Castanhão e Orós, já está em menos de 17 por cento e isso é pouco para 2016.

Convênio
Baquit articula a vinda da ministra Kátia Abreu (da Agricultura) ao Ceará para assinatura de um convênio, em parceria com o Governo do Estado, a partir do programa de irrigação, que contribuirá com melhoras no que se refere à água neste momento de seca. A parceria, como ele explica, é para trocar todo o “sistema obsoleto” existente na irrigação do Ceará, que consome muita água.

No interior
Outro político cearense que se mostrou preocupado com os agravantes da falta de chuva no interior do Estado foi o prefeito Cirilo Pimenta, de Quixeramobim. Ele, inclusive, esteve recentemente em Brasília para articular, junto ao Ministério da Integração Nacional, a liberação de recursos para serem empregados na construção de adutora, que ligará Pedra Branca a Quixeramobim.

A situação de água em Quixeramobim, enfatiza o Prefeito, é muito grave e só não está pior, causando desespero à população, porque a Prefeitura, embora praticamente sem recursos, está perfurando poços profundos. Para ele, se não houver inverno normal no ano que vem a situação poderá ficar insustentável, a não ser que a adutora que vem de Pedra Branca seja concluída.

Esforço
Cirilo Pimenta diz reconhecer o esforço dos governos Federal, Estadual, até mesmo Municipal, para amenizar os impactos da seca no Ceará. Segundo o Prefeito, a situação do homem do campo só não é mais caótica porque o Executivo Estadual tem perfurado poços nas sedes dos municípios, assim como em alguns distritos.

Descompasso
O deputado federal Raimundo Gomes de Matos, que é coordenador da comissão de acompanhamento das obras da transposição, afirmou haver um descompasso nas atividades interministerial e no gerenciamento da obra. Segundo ele, enquanto a presidente Dilma alardeia as obras da transposição do São Francisco, regiões cearenses sofrem com a devastação da seca. “Existe um relatório que foi feito muito pouco na revitalição do Rio São Francisco, assim como as ações de saneamento por onde as águas irão passar”, disse, acrescentando que “tudo isso irá gerar dificuldade para ter o projeto concretizado”.

Com informações do OE


Curtir: