Eleições 2014 Entrevista

Lula diz que é possivel “reconstruir” aliança entre PT e PSB no Ceará

Lula diz que é possivel "reconstruir" aliança entre PT e PSB no Ceará. Foto: Kézya Diniz
Lula diz que é possivel “reconstruir” aliança entre PT e PSB no Ceará. Foto: Kézya Diniz

“Nós tivemos uma divergência agora. Mas o fato de termos tidos uma divergência não significa o fim da possibilidade de reconstruir as alianças aqui no Estado”. Foi com essa declaração que o ex-presidente Lula colocou panos mornos no racha entre Luizianne Lins e Cid Gomes, respectivamente presidentes estaduais do PT e do PSB no Ceará.

Durante entrevista, no fim da manhã desta sexta-feira (01/03), em Fortaleza, Lula ressaltou que a aliança entre os dois partidos vem de eleições anteriores e concluiu: “O que eu acho bom da política é isso. Porque se a política não tivesse problema, não tivesse conflito, adversidade, não teria graça fazer política”.

Leia ainda:
Em evento com Lula, Luizianne dispara contra Cid: “Meu maior erro político foi ter acreditado nele”; Governador silencia: “Sem comentários”

Campos 2014
Sobre a possível candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à presidência da República para uma eventual disputa com Dilma Rousseff, Lula disse que “jamais” atuaria para atrapalhar as pretenções do socialista. “Eu defendo a liberdade incondicional de cada partido fazer o que achar que é melhor. Se não fosse assim, o PT não teria chegado à presidência da República. Eu teimei muitas vezes. Perdi muitas vezes até chegar a presidência. Portanto eu jamais tomaria qualquer atitude para impedir que um companheiro fosse candidato à presidência da República”, enfatizou.

Aliança
Mesmo assim, Lula deixou claro que vai trabalhar para manter a aliança com as forças políticas que hoje dão sustentação ao governo da presidente Dilma Rousseff, já pensando na eleição de 2014. ” O que nós temos que ver é se, estrategicamente, é importante a gente colocar em risco uma coisa que tem dado tão certo neste país que é a aliança histórica entre o PT e o PSB. (…) O meu papel é tentar fazer todo o esforço para que a gente esteja junto”, disse ao revelar que ainda não conversou com Campos em 2013 por problemas de agenda.

“Eu agora vou voltar a conversar com o Eduardo, vou voltar a conversar com os outros partidos políticos porque eu acho que nós temos que construir uma aliança muito forte”, concluiu

Só tem vaga pra um
Questionado se Eduardo Campos seria um bom nome, Lula falou da amizade que possui com Campos e com os irmãos Ciro e Cid Gomes e desconversou. “Eu acho que o Eduardo, ele  é uma personalidade que ele pode desejar qualquer coisa que ele quiser nesse país. Eu acho que a Marina [Silva] tem o direito de desejar, sabe, como outros já desejaram, ou seja, tá todo mundo querendo ser presidente da República mas apenas um vai chegar“, afirmou Lula.

Trombada
Lula ainda avaliou que ainda falta muito tempo para a eleição e que fazer política pelo “diz que diz ou diz que não diz” resultaria em “dar trombada desnecessáriamente”.

Vice de Dilma
Sobre a posível composição entre PT e PSB que colocaria Campos na vice de Dilma Rousseff em 2014, Lula disse que pela amizade que a presidente tem com o governador, “no momento certo eles vão conversar”. O ex-presidente insistiu por diversas vezes que não cabe a ele definir o nome do vice para a eleição de 2014.

“Deixa eu falar em alto e bom som: quem escolhe vice pra presidenta não sou eu. Eu já fui presidente e escolhi duas vezes o meu vice que foi o Zé Alencar. Jamais eu iria escolher o vice da Dilma. Ela e o governo que vai escolher quem será o melhor para indicar pra vice, não sou eu”, disse tentando encerrar o assunto.

Mensalão
Sobre a declaração do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que disse esperar que as penas de todos os condenados na ação penal do mensalão sejam aplicadas até julho deste ano, Lula foi taxativo. “Eu não dou palpite sobre a Suprema Corte. Se a suprema Corte decidiu tá decidido e acabou. Eu posso concordar ou não, mas eu jamais – até porque eu já fui presidente da República, até porque muitos deles [ministros] fui eu que escolhi – eu jamais daria um palpite sobre uma decisão da Suprema Corte”, disparou.

Bastidores
O governador Cid Gomes (PSB) e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB)  foram pessoalmente buscar o ex-presidente Lula no hotel em que ele estava reunido com integrantes do Diretório Nacional do PT. Eles não cruzaram com a presidente do PT no Ceará, Luizianne Lins, que também estava no evento.

Jogo de cintura
Cid se preparava para entrar ocupar o banco de trás do veículo, ao lado de Lula, quando o ministro da Educação, Aloísio Mercadante, se antecipou. Percebendo a saia justa, Cid disse ao motorista que ele mesmo iria dirigir o carro oficial. Assim, Cid Gomes saiu dirigindo o veículo que levou Lula no banco de trás, ao lado de Mercadante.

O prefeito Roberto Cláudio ficou no banco de passageiros. Eles seguiram para a Unilab, no município de Redenção, onde Lula recebe o título de Doutor Honoris Causa.

Confira o vídeo:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=u3wIKwtZTPU[/youtube]


Curtir: