Em Brasília

Manifestantes colocam fogo em Ministérios; Prédios são evacuados

Manifestantes marcham em Brasília por eleições diretas e entram em confronto com a Polícia Militar. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Abr

Todos os ministérios do governo federal liberaram os servidores e funcionários na tarde desta quarta-feira (24) após vários prédios serem depredados por manifestantes que pedem a saída do presidente Michel Temer e protestam contra as reformas da Previdência e trabalhista.

Os manifestantes quebraram vidros, picharam e invadiram os prédios na Esplanada. O Ministério da Agricultura tem um foco de incêndio que teria sido provocado pelos manifestantes, que colocaram fogo também em placas e pneus no meio das ruas. Próximo ao ministério da Saúde, há outro foco de incêndio.

Fogo
No Ministério do Planejamento, os manifestantes pegaram os sofás da portaria, os colocaram do lado de fora do prédio e atearam fogo. No ministério da Cultura, documentos e computadores foram jogados para fora do prédio. Um policial foi ferido na perna quando os manifestantes derrubaram os tapumes que protegiam o Ministério da Agricultura.

Também há registro de depredação nos ministérios da Fazenda, Turismo e Minas e Energia. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 35 mil pessoas participaram do protesto e quatro pessoas foram detidas — três por porte de entorpecentes e armas brancas. Um manifestante foi ferido após a explosão de um rojão que manipulava, segundo a PM.

Câmara
Ao mesmo tempo da confusão na Esplanada dos Ministérios,parlamentares da oposição ocuparam a Mesa do plenário da Câmara dos Deputados com cartazes, faixas e aos gritos de “Fora Temer”. A sessão foi suspensa duas vezes.

Protesto
O protesto começou no início da tarde e quando os manifestantes, alguns com o rosto coberto, chegaram próximos à grade que foi colocada para isolar a área do Congresso, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia do Distrito Federal reagiu com bombas de efeito moral. No Palácio do Planalto, a ordem do presidente Michel Temer foi para que todos os servidores permaneçam no prédio. O Planalto tem segurança diferenciada, com militares.

Reação
A Secretaria de Segurança não informou o motivo da reação policial. No local, a justificativa foi de que seria uma reação a objetos jogados por manifestantes. Temer pediu reforço ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI), responsável pela segurança da Presidência. Veio do GSI a ordem para liberar os servidores dos ministérios, e a Casa Civil disparou mensagens para todos os secretários executivos. Os militares consideraram que a integridade física de servidores estava em risco.

Falha
O governo admite que houve falha no esquema de segurança feito pelo Governo do Distrito Federal (GDF), que não fechou as entradas laterais dos ministérios. O governo federal não pode intervir na segurança, a não ser que o presidente Michel Temer convoque a Força Nacional para conter o protesto.

Com informações do O Globo


Curtir: