Ceará

Médicos do Ceará fortalecem mobilização nacional e realizam protesto em Fortaleza

Médicos do Ceará fortalecem mobilização nacional e realizam protesto em Fortaleza
Médicos do Ceará fortalecem mobilização nacional e realizam protesto em Fortaleza

A classe médica do Ceará irá apoiar uma mobilização nacional em defesa da saúde pública. Na pauta de reivindicações, a manutenção da revalidação do diploma de médicos formados no exterior para atuação no país.

A mobilização está marcada para esta quarta-feira (3), em três atos públicos a partir das 7h30. Os organizadores pretendem mostrar, de forma pacífica, os pleitos da categoria.

Suspensão de atendimento
O protesto, que inclui a suspensão do atendimento eletivo na rede pública em alguns municípios, não afetará os atendimentos de urgência e emergência. A organização das atividades está a cargo das entidades médicas regionais. O Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) apoiam o movimento.

Críticas
As entidades argumentam que as medidas anunciadas recentemente pelo governo são “inócuas” e “paliativas”, pois não oferecem soluções de longo prazo. Também mostram que o principal problema, o baixo investimento estatal em saúde, continuará sem solução. No Brasil, o Estado responde por 44% dos gastos em saúde, quando em países com sistemas universais como o brasileiro, esse gasto gira em torno de 80%.

Falta valorização
O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, tem afirmado que o problema não é a ausência de médicos, mas sim a falta de estrutura e direitos trabalhistas para que esses profissionais possam exercer a Medicina. “Atualmente o Brasil possui quase 400 mil médicos. O problema não é ausência de profissionais e sim a falta de valorização”, explica.

Programação

  • 7h30 – Café da manhã com coletiva de imprensa na sede do Sindicato dos médicos do Ceará
  • 9h – Ocupação da galeria da Assembleia Legislativa para levar aos deputados o repúdio à decisão do Governo Federal de importar médicos sem o REVALIDA
  • 15h30 – Concentração no Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado, para a caminhada “Vem pra rua pela saúde”
  • 17h – Caminhada “Vem pra rua pela saúde” do Palácio do Governo até o Jardim Japonês, na Av. Beira-Mar.

Curtir: