Bastidores

Membros do PT em São Paulo protestam contra buscas da PF na sede do partido

 A Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão como parte da Operação Custo Brasil na sede do Partido dos Trabalhadores, na capital paulista, Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
A Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão como parte da Operação Custo Brasil na sede do Partido dos Trabalhadores, na capital paulista, Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Um grupo de membros do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores e integrantes de movimentos sociais fez um protesto em frente à sede do PT, na capital paulista, onde a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão.

Os manifestantes estenderam uma faixa com a foto do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e os dizeres “Tchau, ladrão. E o Temer?”. O secretário de comunicação do Diretório Municipal, João Bravin, disse estar indignado. Segundo ele, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, estava hoje em Brasília e deve viajar para São Paulo.

“Mais uma vez, é uma ação seletiva da Polícia Federal, contra um partido político que não se negou em participar ou colaborar com investigações”, disse. “A cada semana temos um ministro desse partido golpista saindo do governo e ninguém vai na casa desses ex-ministro que tem delação, nem coercitivamente. Isso é um absurdo, uma perseguição seletiva”, disse.

Custo Brasil
A ação no âmbito da Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato, começou às 6h na sede do PT em São Paulo, localizada na rua Silveira Martins, região central, que está interditada para o trânsito de veículos – apenas pedestres podem transitar pelo local. Oito homens armados do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal fizeram a segurança do lado de fora da sede do prédio, auxiliados por policiais militares.

Propina
As ações da operação são feitas em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal e o objetivo é apurar o pagamento de propina, proveniente de contratos de prestação de serviços de informática, no valor de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Preso
O ex-ministro da pasta Paulo Bernardo foi preso preventivamente em Brasília. O advogado dele confirmou a prisão preventiva de seu cliente e afirmou não ver motivo para a ação: “a prisão não se justifica. O meu cliente não ocupa mais nenhuma função e sempre se colocou à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos.”

Saúde
Os trabalhadores de várias categorias de saúde do estado de São Paulo, que estão em greve, passaram em frente a sede do PT, por volta das 10h20. O protesto não teve relação com as buscas na sede do diretório do partido, pois os grevistas já tinham o trajeto programado para passar pela rua Silveira Martins até o ginásio do Sindicato dos Bancários, onde houve uma assembleia da categoria.

Com informações da EBC


Curtir: