Mensalão

Mensalão: Condenação de José Dirceu repercute no mundo

Reus do mensalão
Réus condenados no “Watergate” brasileiro: imprensa internacional destacou a ação do Supremo no mensalão. Montagem: Exame.com

A notícia sobre a condenação do ex-ministro José Dirceu, decidida na terça-feira (12) pelos ministros do Supremo Tribunal Federal, rodou o mundo. Aliando sempre a figura de Dirceu a Lula, vários jornais do mundo noticiaram a condenação dos altos nomes petistas no “Watergate” do Brasil, como afirmou o The New York Times. Acompanhe!

Leia ainda:
STF condena José Dirceu a 10 anos e 10 meses de prisão por Formação de Quadrilha e Corrupção Ativa
STF pune o cearense José Genoino com 6 anos e 11 meses de prisão
Mensalão: Delúbio tem penas de quase nove anos de prisão

Bafafá
A condenação de José Dirceu pelo Supremo Tribunal Federal (STF) não é notícia apenas no Brasil. O mundo também está sendo informado. Desde ontem, veículos de grande repercussão internacional noticiaram o julgamento do mensalão no Brasil, equivalente em importância ao escândalo “Watergate” nos Estados Unidos, de acordo com o The New York Times.

Lula
O que une as matérias é a citação ao onipresente ex-presidente Lula. Dirceu é sempre apresentado como um dos homens mais próximos ao ex-mandatário.

The New York Times – EUA
Com o título “caso de corrupção brasileiro traz esperança para o judiciário”, o NYT, um dos mais influentes jornais do mundo, comparou o mensalão a Watergate em “importância e escopo”. Foi este escândalo que terminou com a renúncia do então presidente Richard Nixon, em 1974.

O cenário traçado pela reportagem é de que nem os desesperançados brasileiros, acostumados à corrupção, acreditavam que veriam a condenação de políticos importantes. O periódico, porém, não esquece de fazer uma provocação ao sistema judicial brasileiro.

“Os juízes são muito bem pagos e têm grande margem de manobra para exercer influência – como ordenando a prisão, em setembro, do alto executivo do Google no Brasil por causa de um vídeo politicamente controverso – mas acabar com a corrupção e punir figuras políticas poderosas não tem estado, em geral, entre suas prioridades”, afirma uma parte do texto.

A popularidade do relator do processo, ministro Joaquim Barbosa é ressaltada, assim como fez o britânico Financial Times há duas semanas.

A matéria, embora otimista, termina com um choque de realidade a partir da declaração de um acadêmico de Washington. “É promissor ver a Corte comandar o mensalão, mas este julgamento é a exceção que confirma a regra (de que o judiciário não dá conta de combater a corrupção no país)”.

Le Monde – França
O periódico francês destaca em seu site que a Suprema Corte condenou “três dos homens mais próximos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”. E afirma que, apesar da grande cobertura midiática, o PT não parece ter sofrido perdas nas eleições municipais do último domingo.

El País – Espanha
O jornal espanhol enfatizou o que já se diz no Brasil há algumas semanas: não há mais como defender a tese de que o mensalão não existiu. E mostra que a condenação “mais difícil foi a de Dirceu, porque as provas contra ele não eram tão óbvias quanto as dos outros envolvidos”.

A matéria ressalta o que tem sido apontado por aqui como maturidade institucional da justiça: “dos 11 juízes, oito foram nomeados por Lula e a presidente Dilma Rousseff”, lembra a reportagem.

Com informações da Exame.com


Curtir: