Ceará

MP pede afastamento de Cirilo Pimenta por suposto uso da máquina pública nas eleições

MP pede afastamento de Cirilo Pimenta por suposto uso da máquina pública nas eleições
MP pede afastamento de Cirilo Pimenta por suposto uso da máquina pública nas eleições

O Ministério Público do Estado do Ceará ajuizou uma ação cautelar preparatória de improbidade administrativa contra o prefeito de Quixeramobim, Cirilo Pimenta, pelo suposto uso da estrutura municipal no pleito de 2014.

As investigações do MP constataram que bens, serviços e servidores públicos vêm sendo utilizados, desde o período pré-eleitoral, em benefício dos políticos apoiados pelo gestor. A ação foi protocolada na quinta-feira (2), pelo promotor de Justiça Igor Pereira Pinheiro.

Promoção
O primeiro fato constatado ocorreu em meados de junho, quando se verificou que o site da Prefeitura de Quixeramobim estava sendo utilizado para promover e divulgar uma reunião política realizada no município. O encontro estava relacionado ao deputado federal José Guimarães, então pré-candidato a senador. Além disso, foi verificado o uso da publicidade oficial para dar especial destaque ao deputado estadual Osmar Baquit, que também é apoiado por Cirilo Pimenta.

Domingos
Em seguida, no dia 24 do mesmo mês, o então vice-governador e hoje conselheiro do TCM, Domingos Filho, esteve no município para uma reunião do projeto “Governança Colaborativa”. Na ocasião, constatou-se que diversos veículos da Prefeitura foram utilizados indevidamente para o transporte de pessoas que iriam ao evento. Além disso, Cirilo Pimenta fez um discurso em favor da escolha de Domingos Filho como pré-candidato ao governo.

Tem mais
Por conta disso, em 27 de agosto, o MP protocolou uma ação na Justiça Eleitoral e, em 2 de setembro, a juíza Fabrícia Ferreira de Freitas determinou que o prefeito não mais utilizasse a estrutura do poder público para beneficiar qualquer candidatura. No entanto, segundo investigações dos promotores Igor Pinheiro e Gustavo Jansen, fatos subsequentes atestaram a reiteração do uso da máquina pública com fins eleitorais. Entre outras coisas, o MP apurou, através de depoimentos, que alguns servidores estariam sendo obrigados a pedir votos após o expediente, sob pena de perderem o emprego.

Afastamento
Na última quarta-feira (1º), uma fiscalização da Justiça Eleitoral flagrou Cirilo Pimenta em uma reunião política com diversos servidores em horário de trabalho, mesmo depois de o gestor ter pedido licenciamento da Prefeitura. Um vereador que deveria estar em sessão da Câmara também foi flagrado participando do evento. Na ocasião, foram distribuídos adesivos dos candidatos Genecias Noronha e Camilo Santana. Por conta de todos esses fatos, o Ministério Público pediu o afastamento de Cirilo Pimenta até o fim do pleito, com o objetivo de preservar a lisura do processo eleitoral.

Com informações do MPE


Curtir: