Ceará

MP pede informações e cobra devolução do dinheiro investido para atrair Refinaria

A ação é a assinada pelo promotor Ricardo Rocha
A ação é a assinada pelo promotor Ricardo Rocha

O Ministério Público do Estado do Ceará enviou nesta segunda-feira (2) um ofício ao secretário estadual da Infraestrutura, André Facó, solicitando a documentação relacionada à Refinaria Premium II.

Segundo o documento, no prazo de 15 dias, deverão ser encaminhados: o contrato assinado entre o Governo do Ceará e a Petrobrás para a instalação da refinaria e a relação de todas as despesas de infraestrutura realizadas.

Contrato
O ofício foi assinado pelo promotor de Justiça titular da Defesa do Patrimônio Público de Fortaleza, Ricardo Rocha. 
“É importante que o MPCE tome conhecimento sobre a existência de um contrato formal assinado entre a Petrobrás e o Estado do Ceará. Caso tenha ocorrido descumprimento da empresa de forma unilateral, o MPCE poderá tentar viabilizar, junto ao Ministério Público Federal e ao poder Executivo, medidas judiciais contra a Petrobrás para que toda a verba empregada em obras de infraestrutura para a instalação da Refinaria seja ressarcida aos cofres públicos”, afirma o MP.

Improbidade
Se não houver um contrato formal, o MPCE afirma que terá que apurar a eventual prática de atos de improbidade administrativa por parte dos ordenadores dessas despesas que não se cercaram das garantias necessárias para o gasto do dinheiro público.

Leia ainda:
Tasso diz que Nordeste está esquecido e que refinaria foi “trapaça” do governo
Petrobras desiste da implantação de refinaria no Ceará
Refinaria: Governo repudia decisão da Petrobras e Camilo solicita audiência com Dilma
Cid Gomes diz que fez tudo o que podia para construção de Refinaria Premium II

Sem prejuízo
O MPCE entende que, de alguma forma, o Estado do Ceará tem que ser ressarcido dos prejuízos causados pelo arquivamento do projeto de instalação da Refinaria de Petróleo Premium II. “Vale ressaltar que muitas das obras já realizadas não trarão nenhum retorno para os cearenses e serão abandonadas. É função constitucional do Ministério Público a defesa do patrimônio público”, diz o MP.


Curtir: