Fortaleza

“Não há nenhum tostão”: Ivo Gomes fala sobre dificuldades da gestão e anuncia plano na educação de Fortaleza em encontro com professores

Encontro do secretário Ivo Gomes com servidores da Secretaria Municipal de Educação aconteceu na AL. Foto: Máximo Moura/ALCE

O secretário de Educação de Fortaleza, Ivo Gomes, esteve reunido com servidores da Secretaria Municipal de Educação (SME), terça-feira (15), na Assembleia Legislativa para dar detalhes sobre projetos e ações que pretende implentar através da administração do município na rede pública da Capital. Na ocasião, o secretário cobrou mais empenho do professorado. “As aulas não começam na hora e terminam antes do previsto. É para ter quatro horas de aula todo dia”, afirmou.

Leitura
Há 15 dias à frente do órgão, Ivo Gomes disse que a principal meta de sua gestão será a elevação do nível de aprendizagem dos alunos da rede municipal. Para isso, adiantou que investirá alto em estratégias de estímulo à leitura. “O nível dos alunos de Fortaleza é preocupante. E, sem leitura, não tem aprendizagem. Leitura não tem ideologia por trás; tem ciência”, pontuou.

Seleção Pública
Ele reforçou o compromisso assumido pelo prefeito Roberto Cláudio de realizar seleção pública para definir os diretores das escolas de agora em diante. Segundo o secretário, hoje, boa parte é fruto de indicação política. Também serão feitas seleções para coordenadores pedagógicos, secretários escolares e chefes de distritos de educação das Secretarias Executivas Regionais (SERs). As datas devem ser divulgadas até o fim deste mês. A figura do vice-diretor deve deixar de existir em unidades com menos de mil estudantes.

Avaliação e convocação
O secretário descartou a possibilidade de a Prefeitura criar um método próprio de avaliação dos alunos e professores. Disse considerar suficientes os já existentes e mantidos pelos governos Federal e estadual. Anunciou ainda a pretensão de convocar os cerca de 700 professores efetivos hoje afastados das salas de aula, incluindo os 100 em estágio probatório.

Calendário
Discussões em torno do calendário escolar também já estão em andamento, conforme Ivo Gomes. Ele revelou que pretende envolver até o Ministério Público nos debates. A ideia é iniciar o ano letivo de 2014 em 1º de fevereiro. O de 2013 atrasará devido à greve do professorado em 2012. “Não podemos continuar com essa loucura que é o calendário. É nocivo. É ruim para todo mundo”, classificou.

Gastos
Mudanças foram anunciadas para as escolas. Ainda este ano, os diretores serão responsáveis pelo gerenciamento do pagamento das contas de água, luz, telefone, etc das unidades. Hoje, a SME faz o serviço. Ao conselho escolar, caberá a fiscalização dos gastos. “Quem fiscaliza, não pode gastar. Faremos isso até como uma questão simbólica de autonomia”, explicou.

Anexos
Até 2016, Ivo Gomes pretende eliminar os 31 anexos escolares em atividade. O secretário prometeu visitas a todos e informou que os considerados grandes serão transformados em escolas independentes em caráter imediato. “Vou cobrar dos diretores. Mas também vou fazer todo o possível para eles terem melhores condições de trabalho”, comentou.

Sem dinheiro
Nesse início de gestão, ele admitiu estar enfrentando problemas de ordem financeira. “Se o pagamento da folha fosse hoje, eu não teria dinheiro para pagar vocês. Não há nenhum tostão”, pontuou, assegurando solução para o problema antes do dia 30, data em que os servidores recebem as remunerações.

Com informações da AL


Curtir: