Greve Polêmica

Não vou dar anistia nem negociar com PM “bandido”, diz governador da Bahia

Jacques Wagner é o governador da Bahia

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), disse no domingo (05) que os métodos usados por uma parte dos grevistas da Polícia Militar do Estado são “coisa de bandido”. O petista se referia ao uso de armas para tomar ônibus e bloquear vias e também atribuiu à parte dos policiais do movimento alguns do assassinatos nos últimos dias.

Leia ainda:
Governador da Bahia chama PM’s em greve de criminosos, nega anistia, pede prisão de grevistas e lembra estilo Ciro Gomes 

Omisso?
O governador negou ter sido omisso no episódio da deflagração da greve de PMs que gerou uma onda de mortes e de saques em Salvador. Wagner, que acompanhava a presidente Dilma Rousseff em viagem a Cuba quando a paralisação estourou, admitiu que o governo foi surpreendido pelo tamanho do movimento grevista.

Veja ainda:
Líder da PM baiana diz que governador Jacques Wagner já financiou greve

Greve pela PEC
O governador afirmou que a greve na Bahia está sendo orquestrada nacionalmente para pressionar a aprovação da PEC-300, a proposta de emenda constitucional que cria um piso nacional para os policiais. Ex-sindicalista, o petista disse que não vai oferecer nenhum aumento além dos 6,5% já dados ao funcionalismo em 2012 e é contra anistia a policiais envolvidos em atos de vandalismo.

Com informações da Folha de S.Paulo