Nacional

Nos jornais: Canal exclusivo leva água até fazenda de irmão do ministro

Todos os dias surgem novas denúncias contra o ministro da Integração Fernando Bezerra. Foto: Agência Brasil

Duas placas, uma apontando a concessão de incentivos fiscais do Ministério da Integração Nacional, e outra, com o nome da empresa UPA – Umbuzeiro Produções Agrícolas Ltda., marcam a entrada da fazenda de propriedade de Caio Coelho, irmão do ministro Fernando Bezerra Coelho, no Perímetro de Irrigação Nilo Coelho.

Além do canal exclusivo de irrigação, propriedade guarda uma das 39 estações de bombeamento de água no Perímetro de Irrigação Nilo Coelho. A informação é do Estadão.com.

“Sorte”
O principal aspecto na cena, no entanto, é o canal exclusivo de irrigação que serve a fazenda, com a entrada protegida pelo porteiro Valberto Silva.

“Nenhum canal é exclusivo de uma propriedade, mas neste trecho do perímetro de irrigação só tem ela”, explica Paulo Sales, gerente do Distrito de Irrigação Nilo Coelho, empresa privada sem fins lucrativos que administra a área. “O canal secundário faz parte do projeto, foi sorte ele ter comprado aquela área”, completa Sales.

Leia ainda:
Ministro da Integração nega favorecimento a Pernambuco e a parentes
Dilma retira irmão de ministro e nomeia novo presidente da Codevasf   

Depois de pôr irmão em estatal, ministro da Integração deu cargo ao tio em comitê 

“Apenas”
Além do canal exclusivo, a propriedade da UPA guarda uma das 39 estações de bombeamento de água do Nilo Coelho. Mas isso não representa nenhum tipo de vantagem, alega Caio Coelho, por escrito. “A UPA Agrícola apenas utiliza e paga pela água necessária à irrigação do seu plantio.”

Entre irmãos
A irrigação do Vale do Rio São Francisco é, para Caio, “sem a menor dúvida, o melhor investimento público nos últimos anos no Brasil”. O investimento é comandado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), presidida interinamente pelo irmão Clementino Coelho até 12 dias atrás, e subordinada desde o ano passado a outro irmão, o ministro.

Do Estadão.com