ALEC

Oficinas debatem desafios do Complexo do Pecém a partir desta terça-feira

Oficinas debatem desafios do Complexo do Pecém a partir desta terça-feira
Oficinas debatem desafios do Complexo do Pecém a partir desta terça-feira

O Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos da Assembleia Legislativa (Caeae) realiza, de 29 de julho a 7 de agosto, sete oficinas de trabalho para debater os desafios em busca de consensos para a implementação do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). “O objetivo é colaborar para que o CIPP impulsione o desenvolvimento do Estado de forma equânime e sustentável”, observou o presidente do Conselho, deputado Lula Morais (PCdoB).

Temas
As oficinas terão como temas gestão ambiental integrada; políticas sociais para a dinâmica populacional da área do CIPP e entorno; infraestrutura básica; políticas de atração, fixação e fortalecimento de cadeias produtivas no Estado; descompasso entre oferta e demanda de mão de obra, bens e serviços; Integração do planejamento dos municípios de São Gonçalo do Amarante, Caucaia com o CIPP; e o aperfeiçoamento do sistema de gestão com capacidade para desenvolver uma gestão compartilhada.

Pacto
Os desafios surgiram durante o I Encontro Estadual do Pacto pelo Pecém, em continuidade ao trabalho divulgado no documento “Cenário Atual do Complexo Industrial e Portuário do Pecém”, lançado em 16 de maio deste ano, com um diagnóstico sobre a questão. Organizada pelo Conselho de Altos Estudos, a publicação resultou de reuniões com o Poder Público e os diversos setores da sociedade, somando mais de 140 instituições participantes. A ideia das oficinas é oferecer o embasamento técnico-científico necessário ao planejamento de políticas públicas e ao processo decisório Legislativo.

Na sequência
O próximo passo será a elaboração de uma agenda propositiva a ser referendada até o final de 2014, no II Encontro Estadual, para efetivar o potencial de desenvolvimento sustentável do entorno do CIPP e das oportunidades para o Estado. A coordenação de implementação das ações ficará a cargo do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Cede), com apoio técnico, metodológico e administrativo do Conselho de Altos Estudos. “Há um grande esforço das instituições envolvidas no processo, sistematizadas por este Conselho, para que o CIPP ofereça oportunidades de crescimento e evolução econômica para o nosso Estado”, assinalou o secretário executivo do Caeae, engenheiro Francisco Lopes Viana.

Com informações da ALEC


Curtir: