Com a palavra
Atualizado em: 12/05/2011 - 6:16 pm

*Por Wanderley Filho

O governador Cid Gomes (PSB) ganhou espaço na imprensa nacional com seus protestos contra a situação precária das estradas federais no Ceará. Na verdade, o episódio chama mais a atenção pela forma agressiva, em tom de indignação, com que um governador se reporta publicamente a um ministro, a saber, Alfredo Nascimento (PR), dos Transportes.

O fato é ainda mais inusitado por se tratar de duas autoridades que pertencem a partidos da chamada base aliada, ou seja, sócios das políticas públicas adotadas para as estradas brasileiras desde o primeiro governo Lula. É nesse ponto que a pergunta sobre quem é o responsável pelas péssimas condições das estradas federais no Ceará fica um pouco mais complexa, se vista a fundo.

Dilma
A princípio, pelo organograma do poder, a responsável é a presidente Dilma, que escolheu o ministro dos Transportes para implementar seu projeto de governo para a área. A decisão de avaliá-lo no exercício das funções, preservando-o ou afastando-o, é dela. Além do mais, a presidente não pode dizer que desconhecia a situação, uma vez que durante a campanha eleitoral, a informação de que ela, como gestora do PAC, conhecia profundamente tudo o que estava sendo feito no Brasil, foi fundamental para lhe dar a fama de técnica competente.

Alfredo Nascimento
Em segundo lugar, vem o próprio ministro. Alfredo Nascimento não é um novato. Senador eleito pelo Amazonas, foi o primeiro ministro do governo de Dilma Rousseff a ser empossado, e já havia ocupado a pasta outras duas vezes no governo Lula, a primeira vez em 2003.

Assim, passados oito anos, somente agora é que o governador cearense percebeu que a “inépcia” e o “preconceito” de Nascimento prejudicam o seu Estado. Das duas, uma: ou Nascimento passou a ser um mau ministro a partir de 2011 a mando de Dilma, ou Cid Gomes fez vista grossa para a “incompetência” dele, o que acarretou prejuízo aos cearenses.

Cid Ferreira Gomes
O governador é um homem experiente e gosto de tratá-lo com o devido respeito, o que não significa escrever apenas o que seus amigos dizem a ele. As estradas federais cearenses estão péssimas há muito tempo e ninguém em seu governo ou partido agiu a respeito. Fosse questão de pressionar o governo para resolver o problema, o melhor momento seria antes das eleições presidenciais do ano passado.

Fica a impressão de que algum tipo de acordo não cumprido ou interesse ferido, foi o verdadeiro motivo para a crise instalada nos últimos dias. A celeuma parece mais um aviso do que propriamente uma avaliação sensata sobre as qualidades técnicas de Alfredo Nascimento.

Por isso, o responsável pela situação lastimável de nossas estradas, além da presidente e seus auxiliares, é o próprio governador, aliado do ministro que agora acusa, e signatário do projeto em curso que, ao que parece, não contempla o Ceará. Ao cobrar melhorias, Cid faz o que é certo. Mas é preciso deixar claro que isso não é um favor aos cearenses. A essa altura, a cobrança é mais que um dever, é uma dívida. 

Wanderley Filho é historiador.

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me