Câmara Municipal

Oposição na Câmara critica proposta de demolição da Praça Portugal

Guilherme Sampaio lidera bancada de oposição na CMFor. Foto: Genilson de Lima/CMFor
Guilherme Sampaio lidera bancada de oposição na CMFor. Foto: Genilson de Lima/CMFor

Os vereadores Guilherme Sampaio, Acrísio Sena e Deodato Ramalho, do Partido dos Trabalhadores, utilizaram a tribuna nesta terça-feira (11), para se opor à demolição da Praça Portugal, apresentada em projeto de mobilidade urbana da Prefeitura de Fortaleza.

Os parlamentares alegam que destruir uma praça vai contra à história do município, e é preciso que o projeto venha para a Casa do Povo para ser discutida em audiência pública.

Sem diálogo
O vereador Guilherme Sampaio lamentou o ocorrido e afirmou que o Executivo não possui nenhum diálogo com a população, a Câmara Municipal de Fortaleza e comerciantes locais. Guilherme apontou que o prefeito está descumprindo a Lei Orgânica do Município, e que qualquer alteração de praças da cidade, é preciso passar primeiro pela CMFor.

“O prefeito diz que projeto está aberto a sugestões, mas está com as com máquinas trabalhando no local. Se a sociedade não se manifestar, vai se consolidar uma cultura que se faz o que quer, sem discutir com ninguém e delegando a Câmara um papel secundário. A Prefeitura não ia mandar nenhum projeto à CMFor, como exige a Lei Orgânica e mudou discurso agora. Recuou porque ontem o vereador Ronivaldo Maia argumentou na justiça, porque o Ministério Público fez uma recomendação oficial. Não é a primeira vez que isso acontece, é um método político, de gestão que quer oprimir qualquer versão diferente da cidade deles”, argumentou.

Árvores
Para o vereador Deodato Ramalho, o argumento de que as árvores do local serão retiradas e replantadas em outro espaço é inverdade, já que técnicos afirmam que é necessário, no mínimo, um mês para preparar a planta. Além disso, algumas árvores não podem ser transportadas. Ele ainda destaca que destruir uma praça vai de encontro a história local e pondera que a Câmara Municipal não pode ficar a mercê dos anseios da Administração Municipal.

Demolição
Acrísio Sena também criticou o projeto da Prefeitura de Fortaleza, que objetiva a demolição da Praça Portugal. Para o parlamentar, a Praça tem história. Ele ainda alertou que uma Cidade sem história está fadada a desaparecer. “É preciso ouvir a população. Essa praça foi criada em 1947, fruto da política de integração entre Portugal e Brasil. Uma audiência deve ser feita e que venha secretário, moradores, logistas, toda a sociedade”, disse.

Com informações da CMFor


Comentários: