Nacional

Para presidente da OAB, gravações de Temer devem ser tornadas públicas

Cláudio Lamachia é o presidente nacional da OAB

O presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, avalia que as gravações citadas em reportagem do jornal O Globo, em que o presidente Michel Temer aparece dando o aval para manter Eduardo Cunha calado, precisam ser tornadas públicas, na íntegra, o mais rapidamente possível.

“A sociedade precisa de respostas e esclarecimentos imediatos. As cidadãs e cidadãos brasileiros não suportam mais conviver com dúvidas a respeito de seus representantes”, disse Lamachia.

Rápido
O presidente da OAB disse que a apuração dos fatos deve ser feita com celeridade, dando aos acusados o direito à ampla defesa e à sociedade a segurança de que a Justiça vale para todos, independentemente do cargo ocupado.

“São estarrecedores, repugnantes e gravíssimos os fatos noticiados por O Globo a respeito de suposta obstrução da Justiça praticada pelo presidente da República e de recebimento de dinheiro por parte dos senadores Aécio Neves e Zezé Perrella”, afirmou.

Leia ainda:
Fachin manda afastar Aécio do mandato de senador e envia ao STF pedido de prisão
Aécio Neves pediu R$ 2 milhões a Joesley, dizem executivos da JBS

Áudio revela que Temer deu aval a compra do silêncio de Eduardo Cunha
“Fora Temer”: Oposição ingressa com pedido de impeachment
Em nota, Temer confirma encontro com Joesley, mas nega ter comprado silêncio de Cunha

Delação
De acordo com o jornal O Globo, em delação do dono da JBS, Joesley Batista e o seu irmão Wesley, gravaram o presidente Michel Temer em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

Com informações do Contas Abertas


Curtir: