Nacional

Partido da República, que se diz “independente”, decide em fevereiro se é da base governista ou da oposição

O senador do PR, Alfredo Nascimento, deixou o Ministério dos Transportes após denúncias de corrupção

Logo depois da leitura da mensagem presidencial durante a solenidade de abertura dos trabalhos do Congresso Nacional em 2012, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) informou à Agência Senado que o Partido da República define ainda este mês se retornará à base aliada ao governo federal ou passará a engrossar a bancada oposicionista.

“Hoje o PR é independente ainda. Neste mês de fevereiro vamos definir se retornamos à base aliada ao governo federal ou aderimos à oposição. No ano passado, o governo nos disse que queria o PR de volta à base, vamos ver e conversar se continuamos assim. As prioridades do PR no Congresso para 2012 podem mudar dependendo de o partido estar na situação ou na oposição”, resumiu Alfredo Nascimento.

Já para o líder do PR, senador Magno Malta (PR-ES), o mais provável é que a legenda reafirme o apoio ao governo federal. “Acredito que o partido vai decidir por continuar apoiando o governo da presidente Dilma Rousseff”, apostou Magno Malta ao afirmar que a tendência é que o PR volte a compor a base do governo.

Independência?
A independência do PR em relação ao governo federal foi declarada pelo próprio Alfredo Nascimento da tribuna do Plenário do Senado em 16 de agosto de 2011, pouco tempo após seu retorno à Casa, depois de ter pedido demissão do cargo de ministro dos Transportes em virtude de denúncias de irregularidades na pasta.

Entretanto, poucos dias depois, líderes do governo já pediam o retorno do PR à base governista, o que pode acontecer nas próximas semanas.

Leia mais:
Luizianne faz pouco caso do rally protesto contra os buracos nas ruas da Capital 
Dilma reconhece situação precária das rodovias cearenses 
Cid lança “Rally dos buracos”, classifica ministério dos Transportes de “laia” e Dnit de “quadrilha” 

Da Agência Senado


Curtir: