Partidos

Partido Novo mira expansão no Ceará em 2019

Partido Novo mira expansão no Ceará em 2019

O Partido Novo tem como objetivo para o Ceará, em 2019, trabalhar a expansão para o interior do Estado, já de olho nas eleições municipais do ano que vem.

Em passagem por Fortaleza, o presidente nacional do partido e ex-candidato à presidência da República, João Amoêdo, destacou a importância desse movimento no Estado, em evento na capital cearense.

“Quanto antes a gente se preparar, melhor. As pessoas que mais foram bem sucedidas no Novo como candidatos e viraram mandatários resolveram se dedicar ao processo político com antecedência”, diz ele, em referência à movimentação em torno das disputas municipais de 2020.

A intenção da legenda, segundo o presidente, é lançar candidatos tanto à Prefeitura quanto à Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), além de uma série de outros municípios no Estado.

Núcleos
Geraldo Luciano, novo presidente estadual da legenda, destacou na ocasião que a intenção é estabelecer núcleos em cerca de 10 das cidades mais populosas, incluindo Juazeiro do Norte, Crato, Sobral e áreas da Região Metropolitana de Fortaleza. “Esse ano, se fecharmos 10 núcleos, conseguimos atingir o objetivo traçado para 2019. O que não quer dizer que vamos disputar a eleição nesses municípios, e sim que estaremos nos preparando”, adianta.

Alianças
Sobre a possibilidade de aliança com outros partidos no cenário local, Amoêdo adianta que acha não será possível fechar coligações. “Não tenho problema contra coligação, mas tem que ser com quem tenha alinhamento com os princípios e valores que defendemos. Então está em aberto, mas acho pouco provável”, explica.

Redes
João Amoêdo foi o quinto colocado nas últimas eleições presidenciais de 2018, tendo acumulado 2,5% dos votos no pleito. Ele destacou, na ocasião, a importância que as redes sociais terão na disseminação das ideias do partido, levando em conta o papel que tiveram durante o período eleitoral – ele lembra que, mesmo com pouco tempo disponível de televisão, teve resultado melhor do que candidatos como Álvaro Dias (Pode), Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB), na vida pública há consideravelmente mais tempo.

Governo
Amoêdo também teceu críticas ao governo de Jair Bolsonaro (PSL), levando em conta os dois primeiros meses de mandato. Ele considera que o presidente tem “protelado” decisões desde sua posse, a exemplo das respostas que tem dado aos escândalos vividos pelo Governo Federal até o momento, o que tem tido efeitos negativos sobre o andamento da gestão.

Pró e Contra
O presidente da legenda conta que isso é resultado de uma falta de preparo por parte do capitão reformado na área de gestão, levando em conta que sua participação na vida pública, até então, havia sido exclusivamente como parlamentar. “Ser um gestor é tomar decisões uma após a outra”, pontuou, dizendo ainda que falta liderança no atual presidente sobre os diferentes grupos que integram o governo. Ele esclarece, no entanto, que há também pontos positivos na administração, mencionando, com destaque, a iniciativa da reforma da Previdência, entregue esta semana à Câmara dos Deputados. “Eu, como brasileiro, claro que estou torcendo”, sublinha.

Posse
As declarações foram feitas em coletiva de imprensa no início da noite de quinta-feira (21), logo antes do evento “Fazer Crescer – Você se desenvolve. Surge o Novo Brasil”, realizado na capital cearense. Durante a ocasião, no evento do Partido Novo, foi realizado o ato de posse do presidente estadual da legenda, Geraldo Luciano, além dos demais membros do diretório do partido e sua executiva. O evento aberto ocorreu no Hotel Praia Centro, na Praia de Iracema.

“Queremos dar uma melhor estrutura ao Novo no Ceará e oferecer à sociedade uma opção de política diferenciada, com gestão pública eficiente, ênfase no empreendedorismo e priorização dos investimentos públicos”, conta ele, sobre a nova posição. Geraldo Luciano é formado em Administração e Direito, com mestrado em Administração de Empresas, tendo atuado como executivo no Grupo M. Dias Branco e no Banco do Nordeste.

Com informações do OE