Partidos

PL pode abrigar aliados de Cid Gomes

Ciro e seu irmão, Cid, se filiaram ao Pros em outubro de 2013, juntamente com todo seu grupo político no Ceará
Ciro e seu irmão, Cid, se filiaram ao Pros em outubro de 2013, juntamente com todo seu grupo político no Ceará

Os ex-governadores Cid e Ciro Gomes começaram a buscar alternativas políticas para seu grupo, dois anos após se filiar ao Pros. Nos bastidores, aliados de Cid estariam buscando uma “alternativa ou plano B”. Durante o encontro do Pros, na semana passada, algumas lideranças mostravam preocupação devido à legislação eleitoral e ventilaram a possibilidade de migrar para legenda nova.

Segundo fontes ouvidas pela reportagem, o Partido Liberal (PL), sigla que está sendo recriada pelo ministro das Cidades e presidente licenciado do PSD, Gilberto Kassab, seria o caminho, inclusive, no Ceará, a articulação conta com a ajuda do deputado federal Domingos Neto, hoje no Pros.

PDT
Aliado de Kassab e fundamental no processo de criação do PSD, Cid, porém, afirma que só sai do Pros para o PDT e não admite, pelo menos publicamente, a possibilidade de se incorporar ao PL, cujo pedido de formalização no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi protocolado em março deste ano. Para alguns, o atual partido de Kassab pode ser uma alternativa, visto que, por se tratar de uma nova legenda, os riscos de questionamento dos mandatos – sob alegação de infidelidade partidária- não existirão. O futuro do grupo comandado por Cid, no entanto, é incerto e deve ser definido somente na próxima reunião, marcada para agosto.

Leia ainda:
“Ou ficamos no Pros, ou mudamos para o PDT”: Cid e Ciro reúnem aliados para discutir mudança de sigla
Cid Gomes reúne grupo para definir rumo partidário
Mudança de sigla para grupo de Cid e Ciro é “inevitável”

PL
Domingos Neto afirmou que, apenas, contribui para coleta de assinaturas no Ceará, minimizando, porém, declarações sobre sua adesão à nova sigla. “Quanto à mudança de partido, não há decisão tomada. Passamos por uma crise interna”, em referência ao conflito interno vivenciado no Pros. Sobre o Partido Liberal (PL), o deputado admitiu que a expectativa é ter tudo pronto até outubro para poder disputar em 2016. Nos bastidores, Domingos Neto é apontado como futuro presidente do PL no Estado.

De volta
O Partido Liberal existia oficialmente no País até 2006, quando se juntou ao antigo Prona (Partido de Reedificação da Ordem Nacional) para fundar o Partido da República (PR). Neste ano, porém, os antigos fundadores do partido pediram sua recriação ao Tribunal Superior Eleitoral. O pedido de registro do PL no TSE está tramitando normalmente, dependendo apenas da apresentação de 80 mil assinaturas de eleitores brasileiros, dos quais os cearenses esperam contribuir com 10 mil, das mais de 20 mil apresentadas nos cartórios eleitorais deste Estado, segundo informou Domingos Neto. O Ministério Público Federal junto ao TSE já emitiu o seu parecer favorável à sua criação.

Alternativa
Assim como o PSD, criado em 2011, o Partido Liberal nasce como uma alternativa para o grupo de Cid no Estado. O vice-presidente da legenda no Ceará, Almicy Pinto, lembra do apoio do então governador Cid na articulação da sigla. Na época, a legenda abrigou diversos aliados descontentes em suas agremiações.

Prazo
Segundo a Constituição, para poder se candidatar nas próximas eleições, o partido deverá ser fundado doze meses antes do pleito. Além disso, o recolhimento das assinaturas correspondentes deverá ter, no mínimo, meio por cento (0,5%) dos votos válidos, dados na última eleição geral para a Câmara dos Deputados (não computados brancos e nulos), que deverão estar distribuídos em pelo menos nove estados. Além dessa exigência, em cada estado, deve-se atender ao mínimo de um décimo por cento (0,1%) do eleitorado. Há atualmente 27 partidos políticos oficialmente registrados no TSE.

Com informações do OE


Curtir: