Eleições 2014

Planalto corteja os irmãos Gomes para minar pretensão presidencial de Campos

Planalto corteja os irmãos Gomes para minar pretensão presidencial de Campos. Foto: Agência Brasil
Planalto corteja os irmãos Gomes para minar pretensão presidencial de Campos. Foto: Agência Brasil

Em estratégia articulada com seu padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff começa a atuar para neutralizar as pretensões do governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, de se tomar seu possível adversário na disputa de 2014. Em meio aos confrontos explícitos de duas alas do PSB, Dilma recebe hoje o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), no Palácio do Planalto.

Ciro
O encontro ocorre quarenta e oito horas depois das declarações do ex-ministro Ciro Gomes, que é irmão de Cid e criticou Campos (PSB), dizendo não ver nele um político preparado para comandar o Brasil. O ex-presidente Lula também se encontrará com Cid, na quinta-feira, e poderá ter uma conversa com o próprio Ciro.

Isolado?
Apesar de a direção do PSB tentar classificar a crítica de Ciro Gomes como uma “voz isolada no partido”, há uma ala da legenda dominada pelos irmãos Gomes. A ação de Lula e Dilma dá força política a Cid e Ciro Gomes num momento de confronto com Eduardo Campos.

NE
Uma das estratégias do PT para garantir a reeleição de Dilma é reorganizar a força do partido no Nordeste. Essa foi uma avaliação feita por Lula. Nesse cenário, o apoio de Cid Gomes é considerado fundamental, sobretudo se Eduardo Campos realmente decidir se lançar.

Gratidão
Lula é grato a Cid Gomes pelo fato de o governador ter prestado solidariedade ao petista assim que surgiram denúncias de Marcos Valério, o operador do mensalão, de que o ex-presidente sabia do esquema de corrupção e teria se beneficiado dele. Já Ciro Gomes, o irmão do governador, foi ministro da Integração Nacional de Lula de 2003 a 2006.

Dilma
Na eleição presidencial de 2010, Ciro Gomes abandonou o projeto político presidencial e apoiou a eleição de Dilma Rousseff.

Campos
O governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, rebateu ontem o correligionário Ciro Gomes, segundo quem os possíveis adversários de Dilma Rousseff no ano que vem – Campos incluído – não têm projeto para o País. “Discordo da opinião dele e essa não é a opinião do partido”, afirmou o presidenciável do PSB ontem em Recife.

Visão
No sábado, Ciro disse a uma rádio que “Eduardo Campos, Aécio Neves e Marina não têm nenhuma proposta, nenhuma visão”, numa referência também ao senador tucano e à ex-senadora que tenta criar o partido Rede Sustentabilidade. “Isso é o que me preocupa”, disse Ciro, ex-ministro do governo Luiz Inácio Lula da Silva pela cota do PSB.

Campos diz ter entendido a frase como uma crítica também à gestão da presidente Dilma. “Isso não é nenhuma novidade, ele (Ciro) vem falando isso, só que desta vez ele falou em relação a Dilma, a Aécio, a Marina, a todos”, disse o governador pernambucano.

E ainda
Indagado se o caminho de Ciro será a saída do PSB, Campos disse que “o PSB é um partido democrático”, onde as pessoas “têm direito de ter suas opiniões”. “Mas o debate sobre o que o partido vai fazer ou deixar de fazer deve ser travado no momento certo.” Sobre a movimentação do governo federal para tirar o PSB do páreo na disputa presidencial em 2014 – com a eventual ajuda dos irmãos Ciro e Cid Gomes, governador do Ceará Campos disse não estar “pensando nisso”.

Com informações O Estado de S. Paulo


Curtir: