Câmara Municipal

Presidência da Câmara: José do Carmo e Salmito trabalham candidatura para Mesa Diretora

José do Carmo admite que pode abrir mão da disputa para apoiar Salmito
José do Carmo admite que pode abrir mão da disputa para apoiar Salmito

A duas semanas da eleição para a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), que ocorrerá no próximo dia 2 de dezembro, os bastidores da Casa seguem movimentados.

O atual vice-presidente, José do Carmo (PSL), esteve reunido na última quarta-feira (12) com o secretário de Turismo, o vereador licenciado Salmito Filho (Pros) — que assim como Carmo, lançou-se na disputa – e ainda na companhia de 12 vereadores e possíveis apoiadores do vice-presidente.

O encontro aconteceu no gabinete de José do Carmo. A portas fechadas, o grupo tratou da disputa mas não anunciou nenhuma deliberação ao final da conversa.

No aguardo
José do Carmo disse aguardar a deliberação da ampla maioria que o apoia, para saber se abre mão de sua candidatura para apoiar Salmito. “A minha candidatura não é minha. A minha candidatura nasceu de um grupo de vereadores. Então, eu só posso pensar em retirar se o grupo assim decidir”, disse, dando conta de que “aguarda os acontecimentos”.

Pra mudar
Segundo o vice-presidente da Casa, o grupo que o apoia está há mais de um ano e seis meses em busca de uma solução para mudar a imagem do Legislativo Municipal “em função dos problemas que a Câmara vem enfrentando”. “Queremos fazer um trabalho grande para unir todos os vereadores da Casa, mostrar uma imagem positiva”, reverberou.

Em plenário
A eleição da Mesa Diretora fez parte do pronunciamento do vereador Adail Júnior (Pros), que reverberou sobre a necessidade de haver proporcionalidade partidária na eleição da Mesa. “A Casa deve atender à proporcionalidade partidária e de gênero, tanto para o presidente, como para a Mesa”, frisou.

Pros
O vereador lembrou que o Pros têm três nomes cotados para disputar o cargo de presidência, além do dele; Elpídio Nogueira e Salmito Filho . “O nosso partido deverá escolher um nome para presidente e os demais cargos deverão ser ocupados pela proporcionalidade partidária. Que tenhamos maturidade para sairmos numa chapa que tivesse unidade. Por isso, defendo que o PT, mesmo como oposição, ocupe um lugar na Mesa Diretora”, pontuou.

Segundo o parlamentar, a próxima composição deve ser formada por membros do Pros, PT, PMDB, PSC, além de uma representação feminina.

Com informações do OE


Curtir: