Eleições 2012

Presidente Nacional do PPS deixa desavenças com Ferreira Gomes de lado e apoia aliança com PSB de Fortaleza

Presidente do PPS apoia aliança com PSB no segundo turno. Na foto, Roberto Freire aparece ao lado de Alexandre Pereira, presidente do PPS no Ceará e candidato a vice-prefeito de Heitor Férrer. Foto: Kézya Diniz

O presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP), considerou acertada a decisão do diretório do partido no Ceará de apoiar, no segundo turno das eleições para prefeito de Fortaleza, o candidato do PSB, Roberto Claudio. “A decisão tem o meu apoio. Temos a convicção de que é o melhor para o partido e para a Fortaleza”, disse Freire.

Freire x Ferreira Gomes
Roberto Freire expulsou Ciro Gomes do PPS na época em que a legenda rompeu com governo Lula e Ciro não quis entregar o cargo que ocupava no Ministério da Integração Nacional. Mas agora, a desavença parece ter ficado pra trás. Em entrevista ao programa Além da Notícia, da TV Jangadeiro, Freire já havia revelado a aproximação, em nível nacional, das duas legendas. O deputado inclusive citou Eduardo Campos, presidente Nacional do PSB, como um dos possíveis candidatos a presidencia da República em 2014.

Veja a entrevista:
Vídeo: Roberto Freire fala sobre o julgamento do mensalão e as eleições de 2012 no Além da Notícia

Melhor do que o PT?
Para ele, não havia como o partido apoiar o candidato do PT, Elmano Freitas. “Não bastassem os problemas enfrentados pelo PT no nível nacional, em Fortaleza a administração deles, nos últimos oito anos, foi considerada desastrosa”, destacou o presidente nacional do PPS.

Unânimidade
Já o presidente do partido no Ceará, Alexandre Pereira, que disputou a prefeitura como vice na chapa de Heitor Férrer (PDT), lembrou que a decisão de apoiar o PSB foi unânime dentro do partido e se deu em cima de propostas do PPS que foram acolhidas pelo candidato Roberto Claudio. “Ele assumiu nossas propostas de educação integral, de abertura dos postos de saúde durante a noite e de criação da secretaria municipal de segurança pública”, citou Pereira, que também considera desastrosa a administração do PT na cidade. “Não dava para apoiar a continuidade”, resumiu.

Pesquisas
Ainda lamentando não ter chegado ao segundo turno, Alexandre reclamou das pesquisas. “Fomos prejudicados nas pesquisas. O Datafolha, por exemplo, nos colocava em quarto lugar. Com isso, muitos eleitores que votariam na nossa chapa acabaram optando pelo voto útil, beneficiando outro candidato”, reclama.

Abertas as urnas, a chapa Férrer/Pereira ficou em terceiro lugar na disputa, alcançando 20,97% dos votos válidos, apenas 2,35% atrás de Roberto Claudio, segundo colocado. “Era uma candidatura mais independente, que acabou sendo prejudicada pelos institutos de pesquisa”, lamenta o presidente do partido no Ceará.

Com informações da Assessoria


Curtir: