Fortaleza

Professores de Fortaleza conquistam 1/3 da jornada extrassala, como prevê Piso Nacional

Ivo Gomes é o titular da secretaria de Educação de Fortaleza
Ivo Gomes é o titular da secretaria de Educação de Fortaleza

O secretário de Educação de Fortaleza, Ivo Gomes anunciou, na terça-feira (03), por meio da sua página pessoal no Facebook, que a atual gestão está garantindo a todos os professores do Ensino Fundamental, da rede municipal, o cumprimento da Lei do Piso (Nº 11.738), de 2008, que destina 1/3 da carga horária da categoria à realização de atividades extraclasses.

Tá valendo!
De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SME), a medida passou a valer no início deste mês, e beneficiará oito mil professores e 140 mil alunos no Ensino Fundamental.

“Divido com vocês a alegria de poder dizer que todos os professores do Ensino Fundamental das escolas públicas de Fortaleza, agora exercem o seu direito ao 1/3 de planejamento. Foram cinco anos de luta […]. A propósito, somente sete, das 26 capitais brasileiras, garantem esse direito aos professores”, comemorou, na rede social, Ivo Gomes.

Lei
Com a adoção da medida, os professores terão um dia e meio por semana fora da sala de aula para planejar atividades pedagógicas, realizar estudos individuais ou coletivos, organizar os materiais didáticos e participar de formações pedagógicas para favorecer a capacitação contínua na própria escola.

“Os alunos vão ser beneficiados com o desenvolvimento da proposta pedagógica, tendo em vista que, com a seleção de metodologias, o professor dedicar-se-á à realização de uma aula mais dinâmica e atrativa, contribuindo para a elevação dos índices de aprendizagem”, ponderou, através de nota a SME.

Tempo
A destinação do tempo para atividades extraclasses dependerá da quantidade de horas que o professor dedica à rede. “Para o professor de 100 horas, terá 33,3 horas por mês para dedicar-se a atividades extraclasses. Se for de 200 horas, terá 66,6 horas para planejamento”, explicou a nota.

Opa!
A presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação do Ceará (Sindiute), Gardênia Baima, afirmou que a Lei não está sendo cumprida em sua totalidade, pois os professores do Ensino Infantil têm apenas 1/5 do tempo para realizar os trabalhos extraclasses. “Nós estamos reivindicando urgência na aplicação desse um terço. Mas foi um avanço termos conquistado esse tempo para todos os professores do Ensino Fundamental. Um avanço com certo atraso”, disse.

Sobre a implantação da Lei também na Educação Infantil, a SME assegurou que, a partir do início do ano letivo de 2014, quando será realizado o novo levantamento de carga horária e de professores lotados em sala de aula, a medida será implantada, progressivamente, no Ensino Infantil.

Todos ganham
Para a pedagoga Marta Maria, que trabalha em apoio à gestão, em uma das escolas do Carlito Pamplona, a medida só traz benefícios ao corpo docente e discente. “Em um tempo em que as escolas não são mais atrativas para as crianças e jovens, a destinação deste tempo para o corpo docente estudar e pesquisar métodos mais dinâmicos para tornarem suas aulas mais atrativas só beneficia a todos. A ação veio em boa hora”, avaliou.

Com informações do jornal O Estado


Curtir: