Greve

Professores denunciam pressão de Governo e Sindicato

Foto: repórter Weberte Lemos

Educadores, estudantes e pais de alunos estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira (24), na Praça do Ferreira, em Fortaleza, para protestar contra as ameaças e o assédio moral que os professores da rede pública estadual afirmam estar recebendo do Governo do Estado. A mobilização começou com uma passeata pelas ruas do centro, a partir da Praça da Bandeira.

Os educadores reivindicam o cumprimento da Lei Nacional do Piso do Magistério com repercussão na carreira, além da garantia de 1/3 da carga horária para planejamento de aulas.

Denúncia
Alguns professores denunciam que o Governo do Estado estaria incentivando a formação de grupos de professores do interior do Estado que viriam a Fortaleza para votar, durante assembleia nesta sexta-feira (25), contra a deflagração de uma nova greve.

Educadores que participaram do protesto também acusam o Sindicato dos Professores e Servidores em Educação do Estado do Ceará (Apeoc) de trabalhar para encerrar a mobilização, evitando uma nova greve, mesmo sem que a categoria tenha as reivindicações atendidas.

Leia mais:
Em Assembleia, professores recusam proposta do Governo e articulam nova greve 
Governo emite nota sobre possibilidade de nova greve dos professores
 
Professores da rede estadual suspendem a greve
 
Professores apresentam edital para nova greve
 
Estudantes paralisam rotatória da Aguanambi em apoio aos professores
 

Sem Apeoc
O sindicato dos Profressores e Servidores do Estado do Ceará (Apeoc) não deu apoio ao movimento. No início da manhã, o vice-presidente do sindicato, Reginaldo Pinheiro, disse à produção do Jornal Jangadeiro que a orientação para a categoria é aguardar a assembleia geral que será realizada na sexta-feira (25), às 8 horas, no Ginásio Paulo Sarasate.

A redação do Jangadeiro Online tentou contato com a direção do sindicato Apeoc para ouvir o posicionamento diante da denúncia de pressão contra a parte dos educadores, mas os dirigentes não atenderam as chamadas.

Proposta
Os servidores receberam uma proposta no último dia 4 de novembro, do Governo do Estado do Ceará, para reajuste de salário. A categoria pode receber 15% de acréscimo, que seria implantado em duas parcelas. A primeira, de 7,5%, retroativa a 1º de novembro, já seria recebida neste mês; e a segunda, de outros 7,5%, valeria a partir de 1º de janeiro de 2012.

Além dos 15%, o Governo propôs gratificação de 20% para professores com título de mestrado e 30% para doutores.

Greve
No dia 11 de novembro, em votação acirrada, os manifestantes resolveram encerrar a greve deflagrada no dia 5 de agosto (durou 63 dias) e propuseram uma nova paralisação que pode ser iniciada no dia 28. A categoria recusa o reajuste de 15% oferecido pelo governador Cid Gomes.

Assembleia na sexta
O sindicato Apeoc realiza, nesta sexta-feira (25), uma assembleia geral com os educadores para decidir os rumos do movimento. Em votação, a categoria vai definir se inicia uma nova greve ou se aceita a proposta do governo.

A assembleia está marcada para as 8 horas da manhã no ginásio Paulo Sarasate.

3 thoughts on “Professores denunciam pressão de Governo e Sindicato

  1. Hoje a assembleia de professores em Sobral foi visitada por uma equipe da Jangadeiro, que por sinal de já parabenizo pela cobertura da luta dos professores do Ceará, porém não permitimos a filmagem total devido o medo de retaliações, vou apresentar como esta a realidade aqui em Sobral:
    1- Amanhã partirá uma caravana que sairá entre 00:30 e 1:30 para Fortaleza composta quase que exclusivamente por professores com contratos temporários.
    2 – Os professores com contratos temporários se envergonham de estarem nesta situação de submissão, porém foram ameaçados de perderem seus empregos.
    3 – As ameaças partiram dos próprios diretores que relacionaram inclusive o RG destes professores para forçarem os mesmos a votarem amanhã contra a Greve.
    Uma atitude do coronelismo o típico voto de cabresto.
    4 – Os professores que se recusassem a ir na viagem nefasta ouviram de seus diretores que se não fossem não seria mais necessária a presença nas respectivas escolas na segunda.
    Absurdo, corrupção e tirania, esta é a realidade nas escolas cearenses.

  2. PRECISAMOS DE TODO APOIO DA IMPRENSA PARA DENUNCIAR ESSA ARTIMANHA DO GOVERNO QUE NÃO RESPEITA DE FORMA ALGUMA A LUTA DA CATEGORIA. INFORMAR É PRECISO, ESTAMOS VIVENCIANDO O CORONELISMO, O VOTO DE CABRESTO, O PAU-DE-ARARA, MODERNIZADO MAS COM A MESMA FUNÇÃO MANIPULAR NOSSA ASSEMBLEIA.

Comments are closed.