Greve
Atualizado em: 30/06/2011 - 6:02 pm

Professor Anízio Melo ao lado de Ivo Gomes, Chefe de gabinete do governador Cid Gomes. Foto: divulgação/APEOC

Os professores da rede estadual de ensino entraram em “estado de greve”. A decisão foi tomada durante assembleia da categoria, realizada na manhã desta quinta-feira (30/06) no ginásio Paulo Sarasate.

Os educadores cobram do governo Cid Gomes a apresentação de proposta e uma “resposta satisfatória às reivindicações do magistério” em atendimento à Lei do Piso Salarial dos Professores.

Ainda durante assembleia, os educadores programaram uma agenda de mobilizações:

– Dia 06/07 – Ato Público (acompanhando chamamento da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) para manifestações públicas pelo Piso em todo o Brasil no dia 06/07);
– Dia 15/07 – Vigília durante todo o dia 15 de julho no Palácio da Abolição, quando haverá audiência com o governador Cid Gomes;
– Dia 01 de agosto – Assembleia Geral da categoria;
– O Sindicato-APEOC, ainda dentro da programação de luta pelo Piso, Plano de Carreira e Plano Nacional de Educação, intensificará dias 01, 02, 03 e 04 de julho os encontros com professores na Capital e Interior do Estado.

No Palácio
A direção do Sindicato APEOC participou de reunião na quarta-feira (29) com representantes do governo Cid Gomes no Palácio Abolição. Na ocasião, os educadores cobraram do Governo Estadual respostas e encaminhamentos relativos à implementação da Lei do Piso Nacional do Magistério (Lei 11. 738) e da Readequação do Plano de Carreira da referida categoria.

Estiveram presentes à reunião, o secretário Ivo Gomes, Chefe de Gabinete do Governador Cid Gomes; a Secretária de Educação, Izolda Cela; o Secretário de Planejamento e Gestão, Eduardo Diogo; além dos dos deputados Lula Morais (PCdoB) e Nenen Coelho (PSDB). Representando a categoria dos trabalhadores em educação, o Presidente do Sindicato APEOC professor Anízio Melo, e diretores da executiva do sindicato, e mais 120 professores, 50 estudantes e 3 (três) representantes de pais.

Sem proposta
Segundo a diretoria do sindicato, o Governo não apresentou proposta, sob a argumentação da necessidade de mais tempo para equalizar números entre SEFAZ, SEPLAG e SEDUC. Representantes da administração estadual ainda comunicaram, aos educadores, que a proposta governista só será apresentadas pelo Governador Cid Gomes no próximo dia 15 de julho em audiência com o Sindicato APEOC.

Reivindicações
No encontro de ontem à tarde no Palácio da Abolição, o Sindicato APEOC entregou documento ao Executivo onde consta o posicionamento da entidade sobre os eixos gerais que norteiam a proposta da categoria, que são:

1. Acelerar o processo de negociação com a apresentação de respostas do governo às reivindicações da categoria apresentadas pelo Sindicato-APEOC;
2. O compromisso governamental, com o não envio à Assembléia Legislativa, de nenhum projeto que trate de tabela vencimental e o Plano de Cargo e Carreira, durante o período de férias do magistério;
3. Reiteramos nossa posição de acompanhamento da visão da CNTE, entidade da qual somos filiados, de que o valor do piso é de R$ 1.597,87, e questionamos o valor estabelecido pelo MEC/AGU, que é de R$ 1.187,00;
4. Entendimento que o piso salarial profissional deve repercutir para todos os professores, com a diferenciação por formação e tempo de serviço;
5. Nossa proposta advoga a manutenção dos índices de interstícios e diferenciais por formação, contidos no atual Plano de Careira.
6. Implementação de 13 das horas atividades para planejamento de aula conforme posição do STF.

Com informações do Sindicato APEOC

Siga-nos e curta-nos:
RSS
Follow by Email
Twitter
Visit Us
Follow Me